PPG em Geologia celebra 30 anos com programação ao longo de 2022

Ciclo de palestras com egressos, exposições e Aula Magna sobre mudanças climáticas compõe parte das comemorações

Crédito: Divulgação

O Programa de Pós-Graduação em Geologia da Unisinos (PPGEO) celebra em 2022 seus 30 anos de existência. Para marcar a data especial, foi organizada uma programação repleta de atividades à comunidade acadêmica de todo o país.

Conforme a professora Joice Cagliari, coordenadora do PPG, foram pensadas ações de diversas naturezas para promover a discussão científica, a divulgação e comemoração da história do Programa. “Planejamos eventos que pudessem mostrar o que é o PPGEO, tanto para o público externo quanto para a comunidade interna da Unisinos”, explica.

A bagagem dos egressos

Cinco atividades foram organizadas. Entre elas, o ciclo de palestras Com o PPGEO Unisinos na Bagagem, que terá edições mensais. A atividade traz egressos que falarão sobre a importância do Programa em suas trajetórias profissionais. A primeira edição será realizada nesta segunda-feira (4), a partir das 17h30, via plataforma Teams. Para se inscrever, acesse aqui.

Os dois primeiros convidados serão Jorge Villegas Martín e Leslie Marcela Elizabeth Manríquez Márquez, ambos estrangeiros. Cubano, Jorge trabalha no Instituto Tecnológico de Paleoceanografia e Mudanças Climáticas Oceaneon, na Unisinos. Leslie é chilena e possui uma sólida carreira de campo e de atuação no Instituto Antártico Chileno (Inach).

Ao longo do ano, toda a primeira segunda-feira de cada mês contará com uma edição. “Serão sempre dois egressos por vez, com relatos mais pessoais, não tão científicos, para mostrar a importância que o PPGEO teve na construção da carreira dessas pessoas”, comenta Joice. Para a coordenadora, o feedback será importante para mapear diferentes pontos do Programa, o que ajudará a prospectar o andamento dos projetos.

Antártida e história do PPGEO

Estão programadas também duas exposições comemorativas no Museu de História Geológica do Rio Grande do Sul (MHGEO), localizado da Unisinos. Uma delas se refere às expedições à Antártica realizadas pelo PPGEO já há muitos anos. “A gente tem um histórico longo de pesquisa no continente gelado, de professores que participaram dessas viagens e vêm ajudando a entender a sua história geológica”, explica Joice.

O professor Rodrigo Scalise Horodysky, que é coordenador da graduação em Geologia, é o curador da mostra. Atualmente, todo o material está temporariamente instalado no Geo Museu de Gramado, na Serra gaúcha. A estimativa, segundo os organizadores, é de que pelo menos 25 mil pessoas já visitaram a exposição desde junho do ano passado.

Com previsão de ocorrer em setembro, uma outra exposição reunirá momentos históricos do Programa, trazendo contribuições e eventos que desde 1992 marcaram a evolução da pós-graduação. A abertura da mostra, que também ficará instalada no MHGEO, será uma cerimônia comemorativa. Além de relembrar momentos importantes, a ideia é mostrar quem são os professores que atuaram desde o início e que contribuíram para o reconhecimento do Programa.

Crédito: Divulgação

Além desses eventos, ocorreu, no começo de março, a Aula Magna “Mudanças climáticas: realidade ou fantasia”, ministrada pelo professor Ernesto Luiz Correa Lavina, que contou com cerca de 107 participantes. Está em planejamento a possibilidade de um simpósio para discutir as mudanças planetárias que ocorreram no Continente Gondwana, como o aquecimento global, fim de uma era glacial, mudanças nas características dos oceanos e extinção em massa de espécies.

Foco nas pesquisas relacionadas à indústria do petróleo

Crédito: Agência Petrobrás

O surgimento do PPGEO está fortemente ligado ao fomento vindo da Petrobrás na década de 1990, que, na época, buscou a Unisinos para montar um curso de especialização para os seus funcionários. A parceria se estende até hoje com a maior estatal do Brasil, mas também inclui outras empresas da área de óleo e gás.

Joice Cagliari observa que a pós-graduação em Geologia da Universidade trabalha com projetos que buscam investigar questões que as companhias necessitam e que, com isso, formam pesquisadores, mestres e doutores, além da produção de conhecimento científico. 

Atualmente, o PPGEO conta com três linhas de pesquisa: Estratigrafia e Evolução de Bacias; Paleontologia Aplicada; e Sensoriamento Remoto e Modelagem Geológica. O Programa tem um núcleo docente constituído por 13 professores, três deles compartilhados com as áreas de Biologia e Computação Aplicada, a fim de conectar interfaces para aumentar a atuação em questões importantes.

Sem a intenção de perder o foco nas pesquisas relacionadas à indústria do petróleo e ao entendimento do sistema Terra, o programa projeta o futuro também com questões ambientais e discussões paleoclimáticas, aquíferos e solos e inteligência artificial.

O nosso website usa cookies para ajudar a melhorar a sua experiência de utilização.

Aceitar