Esporte, educação e saúde

Projeto de Atenção Ampliada à Saúde

LAURA HAHNER NIENOW

A história do Projeto Canoagem começou com a ideia de ocupar o tempo livre dos estudantes das escolas públicas de São Leopoldo. A iniciativa cresceu e, hoje, os estudantes participam de competições nacionais de canoagem. O projeto contempla crianças e adolescentes regularmente matriculados nos Ensinos Fundamental e Médio. A coordenação do projeto tem contato direto com as escolas onde os atletas estudam. “Para continuarem aqui, eles precisam ter boas notas e bom desempenho escolar”, afirma a professora e educadora física Kátia Regina Roth. De acordo com a coordenadora da iniciativa, Daniela Gomes Maioli, as escolas, em sua grande maioria, dão um feedback positivo sobre o comportamento dos alunos após o ingresso na canoagem. “Aqui é outra disciplina, até porque trabalhamos na água. Uma coisa é fazer bagunça em sala de aula, outra é fazer no rio. Nosso lema aqui é prevenção. O atleta cumpre as regras de segurança ou não participa do projeto”, afirma. “Até porque eles querem entrar para a equipe, né?”. Compõem também a equipe de profissionais do projeto o professor Sandro Blanco Cardoso e o técnico Luis Marcelo Carneiro. Os participantes disciplinados e que se destacam podem entrar para a equipe de canoagem de São Leopoldo. O treino na equipe é rigoroso. São cinco dias por semana, no contraturno escolar. Em parceria com o PAAS, os atletas da equipe recebem acompanhamento psicológico e nutricional. De acordo com as graduandas em Psicologia Eduarda Lima de Oliveira e Bianca Ledur, o que mais aflige os atletas é a ansiedade.

[Crianças praticam canoagem no Rio dos Sinos Crédito: Juliana Borgmann

“A ansiedade é normal na adolescência, assim como nos acompanha em muitos momentos da vida. Nosso objetivo não é manejar só para a competição, mas que eles saibam lidar em todos os âmbitos da vida deles, com as provas na escola, relacionamentos e família”, conta Eduarda. As professoras Daniele Santetti, de Nutrição, e Martha Ludwig, de Psicologia, comentam que os valores pessoais e os projetos de vida dos atletas também são aspectos trabalhados nesses grupos. Os atletas são atendidos semanalmente, em grupos divididos pela faixa etária. Quanto à nutrição, os hábitos alimentares dos atletas também são trabalhados. Segundo a graduanda de Nutrição Letícia Saldanha Scherer, os nutricionistas não apenas desenvolvem uma dieta para os atletas, como também promovem terapia, orientação nutricional e manejo de pré e pós-treino. “A minha maior luta com eles era a água. Eles não tomavam água para se hidratar, e eles precisam! E agora eles aparecem me mostrando a garrafinha de água”, conta orgulhosa.

[Crianças praticam canoagem no Rio dos Sinos Crédito: Juliana Borgmann

Sobre o PAAS 

O PAAS acolhe a comunidade vulnerável e em risco social de São Leopoldo com o objetivo de promover práticas em saúde com vistas à qualidade de vida desta população. É também campo de formação acadêmica, acolhendo estágios, práticas curriculares e pesquisas dos cursos de graduação e pós-graduação. O PAAS atua como serviço-escola da área da saúde, integrando professores, técnicos, funcionários e estagiários das áreas de Enfermagem, Nutrição, Psicologia e Fisioterapia. Atualmente, o programa está organizado em projetos, e destes derivam ações, sendo elas: acolhimento permanente; atendimentos individuais; grupo de diabéticos; grupo de mulheres; grupo de adolescentes; grupo de pré adolescentes; canoagem; atendimento em conjunto; grupo de cuidadores; oficina de contos; mediação de conflitos; avaliações psicológicas no contexto jurídico; acolhimento de mulheres vítimas de violência; oficina de convivência; oficina de cuidadores; atenção básica com inserção na UBS Padre Orestes e UBS/ESF Cohab Duque.

Essa matéria foi realizada em meados de 2018, referente ao Balanço Social 2017.