Arcebispa da Igreja Luterana da Suécia palestra na Unisinos

Antje Jackelen falou sobre diálogos e diversidade

RHAVINE FALCÃO

Nesta terça-feira, 15/10, o Teatro Unisinos foi palco do evento “Diálogos e diversidade: o papel da religiosidade na equidade de gênero e na proteção ambiental”. A atividade contou com a presença da arcebispa da Igreja Luterana da Suécia, Antje Jackelen que palestrou sobre o tema.

No início do evento no Campus Porto Alegre, o reitor falou sobre igualdade. “Creio que o desafio das gerações e o desafio das próximas décadas é darmos conta da igualdade. Creio que esse é o intuito que nos reúne aqui e que vai abrindo oportunidades de falarmos, de nos escutarmos, a partir de cada uma igualdade que se apresente e de fazer o melhor de nós para que o Brasil seja realmente a casa comum para todos nós”, afirmou.

Arcebispa Suécia Crédito: Dani Villar

Também participaram desse momento de abertura, o vice-cônsul Geral da Suécia em São Paulo, Peter Johansson; a advogada e representante do Grupo Mulheres do Brasil, Mariana Ferreira dos Santos; e a professora do Programa de Pós-Graduação em Direito da Unisinos, Fernanda Bragato.

Diálogos e diversidade

Durante a manhã, a arcebispa da Igreja Luterana da Suécia, Antje Jackelen palestrou. Ela falou sobre o papel público da religião. “Falo de forma bem ampla que implica a fé e a reflexão da fé, teologia. As pessoas de fé precisam entender que têm um papel a desenvolver na política”, explicou.

Como avivar narrativas possibilitadoras e dispostas à construção de um espaço de diálogo pautado no lugar social, partindo da existência da liberdade de pensamento foi assunto durante a manhã. No evento, foi considerado indispensável pensar possíveis ações provenientes da articulação entre comunidades religiosas e grupos étnicos e nacionais, de acordo com as prerrogativas constitucionais.

A arcebispa destacou o diálogo como uma das melhores coisas da humanidade “Era uma das formas que Jesus usava para se comunicar”, enfatizou. Ela falou que a democracia só sobrevive quando existe um diálogo baseado na verdade. E que qualquer coisa que seja colocada na mão do ser humano, pode ser usada para o bem ou mal. “E isso não exclui a religião”, ressaltou.

Arcebispa Suécia Crédito: Dani Villar

Jackelen nasceu na Alemanha, onde começou seus estudos de Teologia. Ela foi ordenada na Suécia, em 1980, e desde 2007 atuava como bispa de Lund, posição que manteve até assumir seu novo cargo em junho de 2014.

Para arcebispa, é preciso unir forças diante dos problemas. “Não podemos dizer que primeiro vamos lidar com a equidade de gênero e depois se tiver tempo vamos falar sobre clima. Precisamos lidar com todos os problemas ao mesmo tempo”, finalizou.

Diálogo inter-religioso e diversidade

Arcebispa Suécia Crédito: Dani Villar

Após a palestra, as atividades seguiram durante a manhã com um debate sobre diálogo inter-religioso e diversidade. Seguido pelo lançamento e assinatura do Pacto do sistema de justiça pela proteção ambiental e cultural dos povos e comunidades tradicionais.