Tese do PPG em Administração recebe menção honrosa

Trabalho premiado estudou o processo de inovação social como resposta aos vazios institucionais

MICHELLI MACHADO

A tese “O processo de inovação social como resposta aos vazios institucionais: Uma análise multidimensional em diferentes contextos sociais” escrita por Manuela Rösing Agostini e defendia em 2017, recebeu Menção Honrosa, em dezembro, na cidade de Brasília. A pesquisa concorreu com outros trabalhos de todo o país, de diferentes áreas, inscritos em 2018.

Para o Programa de Pós-Graduação em Administração, a premiação simboliza o reconhecimento acadêmico de um trabalho desenvolvido com seriedade, dedicação e com uma rica contribuição para a área de conhecimento e para a sociedade. “Orientar essa pesquisa foi uma experiência muito agradável e que me proporcionou conhecer novas realidades a partir do olhar da Manuela. Temos uma excelente sintonia e aprendemos muito uma com a outra ao longo desse processo. Tivemos muitos momentos de insight, que somente foram possíveis pela nossa disponibilidade em construir coletivamente algo significativo, a partir de um diálogo aberto e ‘um olhar de aprendiz’, sedento por novas descobertas”, destaca a orientadora da tese Cláudia Bitencourt. 

[Menção Honrosa PPG Administração Crédito: Acervo Pessoal

Para Manuela, esse reconhecimento significa a concretização de um trabalho de quatro anos. “O processo de doutoramento é um longo caminho, cheio de desafios e aprendizagens, e esse prêmio veio coroar a dedicação desses 4 anos. Fazer pesquisa no nosso país é um desafio constante, e ser homenageada pela Capes deixa esse processo ainda mais importante”, afirma.

Segundo a pesquisadora, o trabalho contribui para área da Administração, porque entende os novos mecanismos de avançar economicamente, sem a participação das instituições dominantes do mercado. “Investigamos comunidades nas quais as instituições, principalmente o Estado, não chegam, seja por falta de políticas públicas ou pela inoperância. A inovação social torna-se um mecanismo pela qual as comunidades conseguem por si mesmas alcançar avanços tecnológicos, econômicos e sociais por novas ferramentas de mercado”, finaliza Manuela.