Manifestação da Arquitetura Moderna Brasileira no sul do país

Abertura oficial da exposição aconteceu nessa quinta-feira, 10/10, no Espaço Luis Fernando Verissimo, Campus Porto Alegre

MICHELLI MACHADO

Cerca de 80 estudantes do curso de Arquitetura e Urbanismo da Unisinos desenvolveram uma série de trabalhos tendo como inspiração os projetos dos arquitetos Carlos M. Fayet, Cláudio L. G. Araújo e Moacyr Moojen, representativos da geração descendente da vanguarda moderna na região. A atividade foi desenvolvida pelos alunos da disciplina de Arquitetura Moderna e Contemporânea Brasileira, turmas de 2018/2 e 2019/1. O objetivo do trabalho foi estudar o modernismo brasileiro no Rio Grande do Sul e, especialmente, em Porto Alegre. “Temos três arquitetos que nos deixaram um acervo maravilhoso, mostrando a força do modernismo no sul”, enfatizou a professora da disciplina, Gladys Neves.

[Homenagem arquitetos Crédito: Dani Villar

A professora destacou ainda que a montagem de uma exposição de arquitetura para os alunos não é muito comum. “A exposição funciona como um recurso didático que provoca a experiência na prática. O mais importante é a homenagem aos arquitetos e a aproximação dos estudantes desse tesouro arquitetônico que temos”, afirmou.

Ricardo Zimmer, estudante do 7º semestre do curso de Arquitetura e Urbanismo, foi um dos alunos que participaram das atividades que culminaram nessa exposição. “Desenvolvemos uma maquete e isso contribuiu para recriarmos o processo criativo do arquiteto. Entender o processo pelos olhos do arquiteto”, ressaltou.

[Homenagem arquitetos Crédito: Dani Villar

A homenagem

Nesta quinta, 10/10, aconteceu a abertura oficial da exposição e homenagem aos familiares dos três integrantes da FAM. O acervo apresentado contou com 30 painéis fotográficos com as obras da tríade de arquitetos modernos do RS: FAM (Fayet, Araujo e Moojen). Além de 12 painéis com trabalhos acadêmicos com a síntese das pesquisas sobre as obras desses arquitetos e seis maquetes representando projetos criados por eles.

“É muito satisfatório ver uma exposição tão bonita como essa pulsando nesse campus e na nossa sociedade. Experiências como essas colocam os alunos em contato com a realidade”, afirmou o gerente dos cursos de graduação da Unisinos, Tiago Lopes.

A coordenadora do curso de arquitetura Débora Becker disse que receber esse evento está sendo uma honra para o curso. “Estou muito feliz com a exposição e com a curadoria que fez um ótimo trabalho. Atividades como essa, colocam a arquitetura gaúcha no cenário internacional”, reforçou.

[Homenagem arquitetos Crédito: Dani Villar

O presidente da Direção Nacional do Instituto de Arquitetos do Brasil, Nivaldo Viera de Andrade Júnior, também fez uso da fala. “A arquitetura do Rio Grande do Sul tem uma excelente qualidade e muitas vezes não é conhecida. Por isso, parabenizo a Universidade por realizar essa exposição”, enfatizou.

[Homenagem arquitetos Crédito: Dani Villar

O catálogo da exposição, como síntese das artes da tríade de arquitetos FAM, foi entregue aos familiares dos homenageados pelas arquitetas e professoras da Unisinos, Gladys Neves, Patrícia Nerbas e Mônica Bohrer. Mary Araújo, esposa de Cláudio, representou o marido durante a cerimônia. “Estou muito emocionada por encontrar o trabalho dele de quando eu era recém-casada e ver que o projeto do nosso apartamento está igualzinho. É muito bom saber que ele está sempre presente. É uma satisfação saber que ele é uma referência para os estudantes ainda hoje”, afirmou.

A época representada na exposição abrange da década de 40 até o final dos anos de 1960, período de estruturação da profissão, surgimento do ensino, formação da Faculdade de Arquitetura da UFRGS e criação do Instituto de Arquitetos do Brasil e do Departamento do Rio Grande do Sul, eventos nos quais os três arquitetos homenageados se destacaram.

Sobre a FAM

A exposição FAM apresenta manifestações de distintas colorações do moderno, entre o universal e o regional, e busca incrementar o conhecimento disciplinar da arquitetura brasileira. A divulgação desse conjunto contribui para resgatar a memória da Arquitetura Moderna no sul do país, contextualizar o acervo como proposta didática e multiplicadora, e promover o debate sobre o repertório da cultura arquitetônica.

[Homenagem arquitetos Crédito: Dani Villar

O conjunto de obras está organizado em quatro partes: a primeira, denominada "O Princípio dos princípios", envolvendo os painéis de um a quatorze, apresenta a produção inicial de cada arquiteto onde se desenvolvem as vocações individuais e se manifestam os princípios de arquitetura e urbanismo, que posteriormente vão convergir no Edifício FAM; A segunda parte, denominada "O corolário reunido", ocupando os painéis de quinze a vinte e dois, apresenta o momento inaugural de associação de ideias e estilos, através dos projetos urbanísticos e arquitetônicos realizados para a Petrobrás, entre 1962 e 1969; A terceira parte, denominada "FAM - Por uma Arquitetura Hereditária", coloca em evidência, através do Edifício FAM, os princípios de arquitetura moderna fomentados pelos três arquitetos, cuja herança revela e fundamenta as relações de forma e conteúdo na Arquitetura Moderna Brasileira do sul do país; A quarta parte, "Fayet, Araújo & Moojen", destaca obras relevantes que marcam a trajetória dos três arquitetos em conjunto ou separadamente, a partir dos anos 1970, abrindo outro capítulo do Movimento Moderno.

A exposição FAM - Fayet, Araújo & Moojen: Arquitetura Moderna Brasileira no Sul - 1950 / 1970, faz parte das atividades oficiais do XXI Congresso Brasileiro de Arquitetos - Espaço e Democracia. As obras poderão ser visitadas das 8h às 22h nos dias 11, 15, 16 e 17, no Espaço Luis Fernando Verissimo, no Campus Porto Alegre.