A cultura digital sob uma nova perspectiva

“Iniciativa do curso de Comunicação Digital aborda conceitos da cultura digital, adaptando e dublando roteiros de filmes e séries”

TYNAN BARCELOS - MESCLA

A ideia consiste em abordar alguns assuntos do contexto digital através de roteiros criados pelos alunos para serem dublados em trechos de filmes consagrados pela cultura pop. O método, já abordado pelo professor neste artigo, é usado desde 2012 pelo próprio Rafael: “O processo se dá a partir de alguns textos base do curso. Procuramos comunicar para um público não acadêmico os conceitos básicos daquelas referências, de alguma maneira, conceitos científicos”, explica.

Crédito: Reprodução “Os seus problemas são viver de ilusão, desinformação é confusão” cantam Timão e Pumba, ao contrário do clássico Hakuna Matata, no vídeo feito pela Juliana Martellet e Rafaela Tabasnik

Disponibilizados no instagram, no perfil Balbúrdia Organizada, (também produzido por alunos da ComDig), as dublagens são feitas a partir de obras fílmicas consagradas do mundo pop, como O Poderoso Chefão e Pantera Negra. Os alunos adaptaram os roteiros, incluindo conteúdos de livros e textos, usando suas próprias vozes na versão final.

Foi assim também que eles fizeram reflexões sobre o termo Smart Cities e a força do midiativismo, por exemplo. A professora Maria Clara destaca ainda a circulação dos vídeos como outro ponto importante do projeto: “Os trabalhos acabaram se espalhando por outros cursos, através de alunos e até mesmo professores. Isto foi um ganho bem interessante para os alunos”, destaca.

Crédito: Reprodução neste vídeo, usando a série da Netflix “Narcos”, os alunos Cícero Maciel, Gustavo Rossatto e Ígor Forte abordam o conceito de Coletivo Midiático, que identifica transformações, elementos e continuidades do jornalismo digital.

“O processo de trabalho não foi muito fácil”, relembra a estudante Anna Letícia De Cesero. Ela explica que o primeiro passo foi a escolha do trecho audiovisual original. Logo após, eram escolhidas as cenas que tinham mais predominância de diálogos. As falas eram transcritas em um documento para depois serem alteradas com assuntos relacionados aos textos acadêmicos. O importante era trazer uma sequência lógica na montagem. Anna ainda conta sobre o desafio constante de traduzir as ideias sem tornar simplórias as discussões dos textos acadêmicos: “Corria o risco de deixarmos muito simples, perdendo a essência do autor. Teve dublagens que fizemos cinco roteiros diferentes, até chegar no oficial”, complementa.

Porém, o resultado final. agradou: “Apesar de ter sido trabalhoso, o processo em si foi muito legal. Assistir os resultados no final da disciplina foi muito satisfatório”, corrobora Anna Letícia. Todas as dublagens estão disponíveis no IGTV, através deste link.