Pós Graduação Unisinos - HISTÓRIA - Presencial - São Leopoldo
Doutorado Acadêmico

HISTÓRIA

Presencial - São Leopoldo

Local

São Leopoldo

Dias de aula

De segunda à quinta-feira.

Duração

4 anos

Curso recomendado pela Capes

Conceito 5

Apresentação

O Programa de Pós Graduação em História da Unisinos é avaliado pela Capes com a nota 5. Ele está em funcionamento desde 1987, e sua área de concentração são os Estudos Históricos Latino-Americanos. O Programa privilegia pesquisas com vocação transnacional, valorizando orientações interdisciplinares e transdisciplinares, bem como a busca de excelência em nível internacional.

Promovemos uma formação destinada à produção de conhecimento e formação de historiadores em condições para desenvolver atividades de pesquisa e ensino em instituições de ensino superior, e sustentamos uma série de convênios e ações em parceria com instituições nacionais e estrangeiras nas quais os alunos podem estar inseridos.

O PPG mantém a Revista História Unisinos (ISSN: 2236-1782), com avaliação A1 no Qualis Periódicos, e a RHLA, Revista Latino-Americana de História (ISSN 2238-0620), B3, espaço de atuação e atividade formativa discente. Mantém, também, a Coleção Estudos Históricos Latino-Americanos [EHILA] que publicou até o momento mais de 45 volumes. Área de concentração: Estudos Históricos Latino-Americanos

O Curso de Doutorado tem a duração máxima de 48 meses.


Regimento Interno:

Baixe o Regimento Interno do Programa (PDF)

LinkedIn Facebook Instagram Youtube

 

Este programa também está disponível como:

Coordenação do Curso


Maria Cristina Bohn Martins

Licenciada em História [Unisinos], Mestre em História da Ibero-America [Unisinos] Doutora em História das Sociedades da Iberoamericanas [Pucrs]. Bolsista Produtividade do Cnpq. Professora Titular e pesquisadora junto ao Programa de Pós-Graduação em História, atuando preferentemente em temas ligados à história social e cultural, história das fronteiras, das missões religiosas, das populações indígenas e das relações interétnicas.

E-mail: mcris@unisinos.br

Ver currículo Lattes

Área de concentração: Estudos Históricos Latino-Americanos

O PPGH tem como Área de concentração os “Estudos Históricos Latino-Americanos”, privilegiando a pesquisa interdisciplinar a partir de perspectivas locais, regionais ou transnacionais. Ela nos identifica no conjunto do stricto sensu do país, como um espaço de problematização da construção histórica latino-americana. É o locus e a “experiência” a partir da qual interrogamos o mundo, e que é, também, priorizado para ações colaborativas e trocas institucionais.

Imagem da Área de concentração

Linhas de Pesquisa

Se dedica ao estudo das diferentes culturas e sociedades indígenas americanas em sua especificidade histórica, ocupando-se dos processos de mais longa duração, bem como daqueles vinculados a um tempo mais estrito. Interessam para a linha as dinâmicas internas de formação e transformação dessas sociedades, assim como as relações que estabelecem entre si ou com as sociedades ocidentais. Suas investigações enfocam os atores e os processos de mudança social gerados na interação de códigos culturais das sociedades indígenas e ocidentais, tanto no âmbito dos conflitos, quanto das mediações e das negociações, bem como sua repercussão na produção intelectual e no debate político contemporâneo. Sob diferentes perspectivas e recortes, analisa a ação das instituições civis e eclesiásticas junto às sociedades indígenas, o processo de missionação e os movimentos religiosos decorrentes do contato interétnico e intercultural. Importam, também, para a linha, os temas da cultura material e imaterial dessas sociedades, bem como a formação de memórias sobre elas e sua transformação em patrimônio.

A história da América Latina tem como uma de suas características o ingresso de populações migrantes, provenientes de outros continentes. Desde o século XVI até o século XX, essas populações experimentam um processo constante de apropriação e incorporação dos territórios, o qual constituiu uma linha móvel e, às vezes, fluida em direção ao hinterland, colocando em contato as populações autóctones com os grupos que aqui aportaram. Os agentes deste movimento, que pressupõe inter-relações por vezes conflituosas, estão sob a égide de instituições como o Estado e a Igreja, e atuaram na conformação das sociedades ao longo dos séculos, tanto nos seus espaços rurais quanto urbanos. Nesse sentido, a linha de pesquisa focaliza a ocupação de territórios na América, as migrações e as relações entre os grupos populacionais, bem como as dinâmicas internas de grupos específicos. Contempla temas como colonização da América; contatos interculturais; família, gênero e gerações; organização comunitária, sociabilidade e religiosidade; escravidão e populações negras; imigrantes e descendentes; identidades étnicas e relações interétnicas; mobilidade populacional e organização econômica.

Esta linha de pesquisa investiga problemas situados nos campos da política e da cultura, considerados tanto de modo autônomo, como na inter-relação dinâmica dessas dimensões. São objetos preferenciais de análise os temas relativos às práticas políticas e culturais, os conflitos e as representações, a produção e circulação de ideias, os projetos intelectuais vinculados a diferentes tradições de pensamento, sejam eles individuais ou coletivos, laicos ou religiosos, institucionais ou não. Compõem também o domínio de interesse da linha temas que estabelecem conexões com políticas e práticas de memória. Considerando a historicidade dos fenômenos e processos em questão, a linha abrange e tem como ponto de observação privilegiado o espaço latino-americano, suas interfaces internas (regionais e/ou nacionais) e o diálogo com outros, externos ao subcontinente.

Projetos de pesquisa

Conheça os projetos desenvolvidos pelos professores do Programa em suas respectivas linhas de pesquisa:

Ver projetos de pesquisa

DOUTORADO: ESTRUTURA CURRICULAR

O Doutorado em História se constitui de quarenta (40) créditos, a serem obtidos através de:

I - vinte (20) créditos cursados no Mestrado deste Programa ou em Programas de Pós-Graduação estrito senso, de outras instituições, com aproveitamento condicionado à análise e aprovação pela Coordenação do Programa;

II - vinte (20) créditos assim distribuídos:
(a) Quatro (04) créditos relativos ao Seminário de Tese - 60 h/a;
(b) Dezesseis (16) créditos relativos a disciplinas de livre escolha do aluno.


EMENTAS DO PROGRAMA ATIVIDADES TRANSDISCIPLINARES

Disciplinas de núcleo comum keyboard_arrow_down

  • Seminário de Tese
    O seminário se propõe a discutir questões temáticas e teórico-metodológicas relativas ao processo de elaboração de Tese, atendendo ao interesse do(s) orientando(s).

  • Teoria e Metodologia da História I
    Este seminário se ocupa da reflexão sobre o papel da teoria para a pesquisa e o conhecimento histórico. Examina as possibilidades no campo da epistemologia, procurando acompanhar as transformações que a chamada “crise dos paradigmas das ciências humanas” tem suscitado especificamente no âmbito do conhecimento histórico. Avalia o diálogo interdisciplinar que vem orientando a prática historiográfica das últimas décadas, suas possibilidades e limites.

  • Teoria e Metodologia da História II
    Este seminário procura analisar as propostas de renovação temáticas, teóricas e/ou metodológicas vinculadas ao campo disciplinar da História. A discussão acerca do trabalho de construção conceitual, clássico e atual, as novas metodologias e abordagens que surgem impulsionadas pela revolução tecnológica, bem como os questionamentos e desafios colocados para os historiadores em função dos parâmetros científicos contemporâneos são objetos relevantes a serem tratados nas discussões e leituras desenvolvidas.

  • Fontes e Métodos na Pesquisa Histórica
    A proposta deste seminário é realizar estudo crítico sobre temáticas da história latino-americana, abordando privilegiadamente metodologias e técnicas envolvidas no processo de construção do conhecimento histórico e valendo-se da análise de documentos ou de fontes históricas variadas.

  • Tópicos Especiais de História I
    A disciplina apresenta-se como oferta acadêmica de estrutura flexível e de conteúdo variável, permitindo a abordagem e aprofundamento de temas emergentes e/ou muito específicos da pesquisa histórica. Os Tópicos Especiais priorizam o tratamento de questões de ordem epistemológica, teórica e metodológica, buscando identificar, aprender e oferecer ao aluno propostas inovadoras, não-convencionais ou ainda não consolidadas na área, eventualmente de caráter transdisciplinar, e que representem possibilidades concretas de avanço e qualificação na prática da pesquisa histórica.

  • Tópicos Especiais de História II
    Os Tópicos Especiais priorizam o tratamento de questões de ordem epistemológica, teórica e metodológica, buscando identificar, aprender e oferecer ao aluno propostas inovadoras, não-convencionais ou ainda não consolidadas na área, eventualmente de caráter transdisciplinar, e que representem possibilidades concretas de avanço e qualificação na prática da pesquisa histórica.

  • Disciplinas - Linha de pesquisa: Sociedades indígenas, cultura e memória keyboard_arrow_down

  • Formação e Transformação das Sociedades Indígenas
    A disciplina estuda os processos históricos experimentados pelas sociedades indígenas na América Latina, analisando suas continuidades e mudanças, sob o aspecto econômico, cultural, social e político. Também se ocupa das especificidades regionais, dos processos de desestabilização criados pelo contato e dos movimentos de etnogênese e reafirmação identitária.

  • Sociedades Indígenas: História e Historiografia
    A disciplina se propõe a discutir as atuais tendências da historiografia produzida na e sobre a América Latina. Essa produção vem sofrendo sensível transformação nas últimas décadas em decorrência, entre outras coisas, da aproximação entre os campos disciplinares da História e da Antropologia, que contribuiu para a reavaliação de uma série de teorias, abordagens e conceitos. Em relação às sociedades indígenas, se propõe a discutir, a partir de fontes orais, etnográficas, linguísticas, entre outras, novas possibilidades de tratar os temas do contato.

  • Cultura, Memória e Patrimônio
    A disciplina se ocupa com estudos de cultura material e imaterial, produção e reprodução de memória, de patrimônio e de identidades, preferencialmente ligados à história indígena na América Latina. Interessa-se pela história desses conceitos, pelos processos que os inter-relacionam a objetos e locais em que podem ser estudados, como sítios e coleções arqueológicas, documentos, arquivos e museus, tradições orais e paisagens. Também se ocupa da organização e socialização desse conhecimento, mediante processos educativos.

  • Práticas de Escrita, Representações e Sociedades Indígenas
    A disciplina propõe o estudo dos processos que envolvem a elaboração, circulação e recepção de diversos tipos de narrativas elaboradas na e sobre as Américas, dentre as quais se encontram as crônicas coloniais, os relatos de missionários, administradores e viajantes, bem como gravuras, textos históricos, literários ou fílmicos. Sem pretender uma abordagem linear ou cronológica, a disciplina prevê o estudo das representações difundidas pelas narrativas textuais e imagéticas produzidas pelas sociedades americanas e daquelas elaboradas sobre essas sociedades por historiadores, antropólogos e literatos.

  • Igrejas, Missões e Movimentos Religiosos
    Esta disciplina contempla o estudo da ação das instituições eclesiásticas nas Américas e das suas relações com os poderes civis, envolvidos com a questão indígena. Serão tratadas as motivações, as dinâmicas, as ideias-guias e as características do processo de missionação ao longo das diferentes épocas que caracterizam a interação entre os missionários e as sociedades indígenas. Contemplam-se os complexos processos de construção e reconstrução das práticas e discursos religiosos da atividade missionária e da constituição de organizações devocionais, bem como as relações de coexistência e conflitos dos movimentos religiosos decorrentes do contato, à luz de fontes e documentos eclesiásticos.

  • Disciplinas - Linha de pesquisa: Migrações, territórios e grupos étnicos keyboard_arrow_down

  • Mobilidades, Diásporas e Migrações
    A disciplina tem como referência o estudo das mobilidades, diásporas e migrações, eixos teóricos complexos que subsidiam a análise dos processos de ocupação do território latino-americano. A partir das abordagens teóricas e políticas, vinculadas a esses eixos temáticos, busca-se compreender os seus múltiplos significados e temporalidades.

  • Historiografia, Fontes e Perspectivas de Pesquisa
    A disciplina contempla historiografia, fontes, metodologias e perspectivas de pesquisa atinentes às mobilidades, diásporas e migrações, em diferentes temporalidades, no âmbito da América Latina. Debate, especialmente, as atuais tendências historiográficas, salientando as fontes públicas e privadas que embasam tais investigações e as respectivas metodologias de pesquisa, com ênfase nas perspectivas da história sociocultural e dos métodos da microhistória.

  • Processos de Memorialização e Patrimonialização
    A disciplina trata do ingresso das populações e/i/migrantes e diaspóricas na América Latina e de como o processo de memorialização as acompanhou e vem marcando sua trajetória nesse novo espaço. Suas memórias e suas identidades, nesse sentido, vêm sendo construídas e/ou marcadas por uma miríade de elementos ligados ao patrimônio tangível e intangível e podem ser analisadas através de processos como o da patrimonialização e da memorialização. Interessa-lhe, ainda, a história e a historicidade desses dois conceitos em seus desdobramentos sociais e políticos e as relações daí advindas.

  • Populações negras, escravismo e pós-emancipação
    A disciplina analisa a presença de populações africanas e afro-descendentes na América Latina, desde os primórdios da colonização até o pós-emancipação. Através do debate historiográfico, a disciplina aborda temas como família escrava, alforrias, irmandades, religiosidades, territorialidades negras, identidades étnico-raciais, trabalho, saúde e práticas de cura, associativismo, gênero, imprensa e intelectualidade negra.

  • Migrações e Populações de E/I/migrantes
    A disciplina trata das migrações em sua dupla face - a da emigração e a da imigração - assim como contempla as políticas migratórias dos países latino-americanos nos séculos XVIII a XXI. Estuda a organização política, econômica e social de imigrantes e descendentes e suas relações com os Estados e com outros grupos étnicos, através da análise de trajetórias individuais e familiares. A disciplina discute, ainda, temas como redes migratórias, família, gênero, violência, práticas de justiça e identidades étnicas.

  • Disciplinas - Linha de pesquisa: Poder, ideias e instituições keyboard_arrow_down

  • Cultura na América Latina
    A disciplina dedica-se as discussões teórico-metodológicas envolvendo o conceito de cultura e suas interfaces com o universo das representações, com o mundo digital e midiático, com as produções artísticas. Permite, ao lado do debate teórico, análises historiográficas que envolvem a produção dos campos das Artes, da Comunicação e das Ciências Humanas de uma maneira geral, e que focalizam, em um tratamento transdisciplinar, estudos centrados na América Latina.

  • Intelectuais e Pensamento Latino-Americano
    A disciplina estuda temas pertinentes aos intelectuais, considerados como importantes atores da história política e cultural da América Latina. Trata de temas como a formação de redes de sociabilidade e de circulação de ideias, trajetórias e gerações de intelectuais, confronto entre tradição e modernidade, nacionalismos e regionalismos entre outros. A esses temas pode ser acrescentada a peculiaridade do pensamento acerca da identidade da América Latina. Nesse sentido, a disciplina visa a analisar a contribuição de intelectuais que, desde a formação dos estados independentes, refletiram sobre a identidade cultural latino-americana, sobre seus eixos constitutivos e acerca da relação da América Latina com os paradigmas norte-americanos, europeus e do pós-colonialismo.

  • Estado e Sociedade Civil na América Latina
    Esta disciplina dedica-se ao estudo da formação e dinâmica do Estado Nacional nos países da América Latina, enfocando especialmente suas relações com a sociedade, por meio de movimentos sociais. Nesse sentido, analisa, por um lado, a presença e o alcance da atuação do Estado, e, por outro, a organização da sociedade, cuja atuação em variadas formas associativas potencializam e dão visibilidade a problemas, a demandas e a projetos políticos alternativos. Busca discutir os variados graus de autonomia e/ou tutelamento implicados nessa relação e seus desdobramentos para o processo de construção da sociedade na América Latina.

  • Práticas de Memória e Escritura na América Latina
    A disciplina tem em vista discussões teóricas, metodológicas e historiográficas, centradas na produção da memória e na escrita da história sobre o continente latino-americano. Ocupa-se tanto das manifestações de oralidade, como dos processos de escritura efetivados por profissionais do conhecimento histórico e das diferentes manifestações literárias (crônicas, contos, romances, relatos de viagem, autobiografias...) vinculadas a esse espaço histórico-social. Permite, dessa forma, por meio da análise de variados suportes da memória, compreender as formas pelas quais a América Latina tem sido pensada desde múltiplos pontos de vista, sejam eles internos ou externos à região.

  • Instituições, Atores e Políticas Públicas na América Latina
    A disciplina aborda discussões teórico-metodológicas envolvendo as relações no âmbito das burocracias, considerando especialmente administradores, servidores públicos de diferentes esferas e instituições, e os diversos agentes e movimentos no que se refere à formulação e/ou implementação de políticas e programas. Contempla, ao lado do debate teórico, análises historiográficas que envolvam a produção do conhecimento sob diferentes perspectivas e que examinem, em um tratamento transdisciplinar, estudos centrados na América Latina.

  • PROCESSO SELETIVO

    Inscrição Online

    Período de inscrição: 01/10 a 22/11/2021

    Taxa de inscrição: R$ 70,00
    Observação: para os egressos da Unisinos é concedido um desconto de 50% na taxa de inscrição.


    Confira o edital para o processo seletivo (PDF)


    No item II do Edital você encontra a lista dos documentos obrigatórios que devem ser anexados durante a sua inscrição. Anexar todos os documentos obrigatórios é condição para o êxito da sua inscrição.

    Saiba como converter arquivos em formato PDF


    Seleção

    Período: 25/11 a 02/12/2021.

    Confira a lista preliminar dos selecionados da Etapa I (PDF)


    Divulgação dos Aprovados

    A lista preliminar dos candidatos selecionados será divulgada nesta seção a partir do dia 03/12/2021.

    A lista definitiva dos candidatos selecionados será divulgada nesta seção a partir do dia 10/12/2021.

    Confira a lista preliminar dos selecionados (PDF)

    Confira a lista definitiva dos selecionados (PDF)


    Matrículas

    As matrículas serão realizadas de 12 a 19/01/2022.

    Os Programas de Pós-Graduação da Unisinos permitem a participação de alunos não regulares em determinadas disciplinas dos cursos de Mestrado. São considerados alunos não regulares estudantes de outras instituições de ensino superior; graduados e pós-graduados sem vínculo com PPGs e também graduandos da UNISINOS que tenham concluído ou estejam matriculados em Trabalho de Conclusão de Curso I (TCC I) ou Trabalho de conclusão de Curso II (TCC II).

    A cada semestre os programas divulgam as disciplinas do curso passíveis de aceitação de matrícula de alunos não regulares. A análise da inscrição é realizada pela Coordenação do PPG. Após parecer favorável da Coordenação, o aluno solicita matrícula, junto ao Atendimento Unisinos.


    Baixe o regulamento para admissão de alunos não regulares (PDF)
    Baixe a ficha de inscrição para alunos não regulares (DOC)


    Inscrição

    A solicitação deve ser realizada por e-mail para atendimento@unisinos.br a partir de 04/01 até 05 dias úteis antes do início das aulas (*) da disciplina de interesse, anexando a documentação exigida.


    Veja as ofertas de 2021/2 (pdf)


    Confira a lista da documentação necessária no link do regulamento (PDF) para admissão de alunos não regulares, disponibilizado acima.


    Valores

    Confira os valores para 2021

    INVESTIMENTO

    Confira o valor da parcela para o Doutorado Acadêmico em História:


    60 parcelas de R$ 1502,81*

    Financiamento próprio em até 60 parcelas.


    *Valor para ingressantes em 2021.

    Confira o valor da parcela para o Doutorado Acadêmico em História:


    60 parcelas de R$ 1352,53*

    Financiamento próprio em até 60 parcelas.


    *Valor para ingressantes em 2021.

    Ficou alguma dúvida?

    Clique no botão abaixo para falar com um de nossos consultores.

    Falar com consultor

    PROGRAMAS DE BOLSAS E DESCONTOS

    São egressos todos os estudantes que concluíram um nível completo de educação superior (alunos diplomados da Unisinos).


    Egressos Unisinos possuem 10% de desconto nos Programas de Pós-graduação de Mestrado e Doutorado* Acadêmico e Profissional.


    *Válido para ingressantes no Doutorado a partir de 2021.

    O Programa de Bolsas de Estudo Pe. Theobaldo Frantz de Formação Docente para Qualificação de Professores da Escola Básica busca fomentar a formação de pessoas em nível de pós-graduação estrito senso e o desenvolvimento de pesquisas com relevância para o desenvolvimento social, no contexto da educação básica.


    Veja o edital disponível para este processo de bolsa:

    O Programa de Bolsas Unisinos de Apoio à Pesquisa de Ciência, Tecnologia, Inovação e Empreendedorismo é direcionado à estudos inovadores que visem à criação de conhecimento prático e específico orientado à eixos/temas estratégicos da Unisinos.

    Tal concessão busca induzir a criação de conhecimento que envolva todas as áreas de conhecimento, estimulando a cooperação em pesquisa de forma transversal entre Programas de Pós-Graduação, e o desenvolvimento de pesquisa básica dirigida e pesquisa aplicada.

     

    Áreas estratégicas da Unisinos

    » Microeletrônica

    » Saúde e Tecnologias

    » Inovação e Empreendedorismo

    » Humanidades e Tecnologias

     

    Para candidatar-se ao processo de bolsas, faça antes sua inscrição no processo seletivo do curso de interesse.

    O Programa de Suporte à Pós-Graduação de Instituições Comunitárias de Educação - PROSUC concede Bolsas de Pós-graduação e Auxílios para o pagamento de Taxas escolares, para os melhores classificados nos processos seletivos de ingresso nos Programas de Pós-Graduação.


    » Confira Portaria n° 149 de 1° de agosto de 2017 (pdf)

    Veja o edital disponível para este processo de bolsa:

    O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) é uma fundação, vinculada ao Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), para o apoio à pesquisa brasileira. Contribuindo diretamente para a formação de pesquisadores (mestres, doutores e especialistas em várias áreas de conhecimento), o CNPq é uma das maiores estruturas públicas de apoio à Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) dos países em desenvolvimento.


    Os investimentos feitos pelo CNPq são direcionados para a formação e absorção de recursos humanos e financiamento de projetos de pesquisa que contribuem para o aumento da produção de conhecimento e geração de novas oportunidades de crescimento para o país.


    Veja o edital disponível para este processo de bolsa: ​

    PROFESSORES DO CURSO

    O aluno do Programa de Pós-Graduação em História tem à disposição um corpo docente composto por professores doutores com reconhecida experiência profissional e experiência nacional e internacional.

     

    Ana Paula Korndörfer

    Ana Paula Korndörfer

    Doutora em História
    WorkID/ORCID

    Doutora em História pela PUCRS, desenvolve e orienta investigações que enfocam a História da América e a História do Brasil Republicano, privilegiando temas vinculados à História da Saúde e das Doenças, à História Social de Profissões Técnicas e Científicas, à História da Infância, à História das Mulheres e aos Estudos de Gênero.

    Deise Cristina Schell

    Deise Cristina Schell

    Doutora em História
    WorkID/ORCID

    É professora de história da alimentação e patrimônio alimentar. Investiga temas relativos à história da América, à história da historiografia, aos estudos de gênero, à história das mulheres e à história da alimentação. Lidera o Grupo de Pesquisas do CNPq "Mulheres públicas na história: escrita, trabalho e resistências na América Latina (séculos XIX e XX)".

    Eliane Cristina Deckmann Fleck

    Eliane Cristina Deckmann Fleck

    Doutora em História
    WorkID/ORCID

    Doutora em História pela PUCRS, pesquisadora do CNPq (Pq 2), desenvolve e orienta investigações que enfocam a História da América e a História do Brasil do período colonial (séculos XVI a XIX), privilegiando temas vinculados à História da Saúde e das Doenças, à História das Ciências e à História das Religiões e Religiosidades.

    Hernan Ramiro Ramirez

    Hernan Ramiro Ramirez

    Doutor em História
    WorkID/ORCID

    Licenciado e Bacharel em História e Mestre em Ciência Política pela UNC e Doutor em História pela UFRGS, com pós-doutorado em Ciência Política no IUPERJ. Desenvolve pesquisas sobre história contemporânea da América Latina, especialmente transformações estatais ditaduras do Cone Sul alguns dos seus grupos dominantes, em especial empresários e tecnocratas instituições sócio-políticas, bem como ideias e políticas econômicas.

    Isabel Aparecida Bilhao

    Isabel Aparecida Bilhao

    Doutora em História
    WorkID/ORCID

    Doutora em História pela UFRGS, investiga a História da Educação em relação à História Social do Trabalho no Brasil ao longo do Período Republicano. Orienta pesquisas que vinculam a História da Educação às relações étnico-raciais, aos movimentos sociais e aos mundos do trabalho.

    Jairo Henrique Rogge

    Jairo Henrique Rogge

    Doutor em História
    WorkID/ORCID

    Doutor em História pela UNISINOS, desenvolvendo pesquisas na área de Arqueologia Pré-Histórica e Histórica, História Indígena, Memória e Patrimônio Cultural.

    Maíra Ines Vendrame

    Maíra Ines Vendrame

    Doutora em História
    WorkID/ORCID

    Licenciada em História, Mestre e Doutora em História das Sociedades Ibero-Americana pela PUCRS, com estágio de doutorado na Università degli Studi di Genova. Realizou pós-doutorado no Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Santa Maria. Desenvolve pesquisa sobre Desenvolve pesquisa sobre imigração italiana, redes sociais, micro-história, trajetória, práticas de justiça, violência, família, honra, comunidades camponesas. É autora do livro "Power in the Village" publicado pela editora anglo-americana Routledge, na seção The Microhistories series.

    Marcos Antonio Witt

    Marcos Antonio Witt

    Doutor em História
    WorkID/ORCID

    Graduado e Mestre em História pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos – UNISINOS e Doutor em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS. Desenvolve pesquisas sobre e/i/migrações para a/na América Latina, com ênfase na história da imigração alemã. São do seu interesse a temática das migrações, vinculada a questões políticas e sociais.

    Maria Cristina Bohn Martins

    Maria Cristina Bohn Martins

    Doutora em História
    WorkID/ORCID

    Licenciada em História [Unisinos], Mestre em História da Ibero-America [Unisinos] Doutora em História das Sociedades da Iberoamericanas [Pucrs]. Bolsista Produtividade do Cnpq. Professora Titular e pesquisadora junto ao Programa de Pós-Graduação em História, atuando preferentemente em temas ligados à história social e cultural, história das fronteiras, das missões religiosas, das populações indígenas e das relações interétnicas

    Marluza Marques Harres

    Marluza Marques Harres

    Doutora em História
    WorkID/ORCID

    Doutora em História (2002) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS. Atualmente é professora titular da Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS. Tem experiência em pesquisa e orientações de mestrado e doutorado, atuando principalmente nos seguintes temas: história política, história cultural e política na literatura, história ambiental, história agrária e movimentos sociais.

    Miriam Steffen Vieira

    Miriam Steffen Vieira

    Doutora em Antropologia Social
    WorkID/ORCID

    Doutora em Antropologia Social (2007), Mestre e Licenciada em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professora no PPG em Ciências Sociais da Unisinos. Professora colaboradora na Universidade de Cabo Verde. Atua nos campos da Antropologia Feminista e Antropologia do Estado, principalmente nos seguintes temas: gênero e suas interseccionalidades, políticas públicas de gênero, gênero e desenvolvimento, gênero e políticas de cuidado, violência de gênero.

    Paulo Roberto Staudt Moreira

    Paulo Roberto Staudt Moreira

    Doutor em História
    WorkID/ORCID

    Doutor em História pela UFRGS. Coordenador (com a prof. dra. Miriam Steffen Vieira) do Grupo de Pesquisa SIBITXI: Gênero, Justiça e Saúde em contextos africanos e latino-americanos. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 2. Temas de interesse: escravidão pós-emancipação história social do crime e da justiça associativismo negro saúde e doença Patrimônio histórico documental arquivos pessoais & coleções, lugares de memória.

    Bolsista PNPD keyboard_arrow_down

    Eduardo Relly

    Eduardo Relly

    Doutor em História

    Colaborador keyboard_arrow_down

    Luiz Fernando Medeiros Rodrigues

    Luiz Fernando Medeiros Rodrigues

    Doutor em História Eclesiástica
    WorkID/ORCID

    Doutorado em História Eclesiástica pela Pontificia Università Gregoriana (Roma), desenvolve e orienta pesquisas que enfocam a História da Brasil no período colonial (séculos 16 a 19), privilegiando temas ligados às instituições sociais, políticas, econômicas e religiosas Iluminismo, Companhia de Jesus, missões na Amazônia, Igreja Católica e Formação do Clero.

    INFRAESTRUTURA

    Confira também