Superando a crise e fortalecendo a marca

Inscrições para a segunda fase do Projeto GIL Pequenos Negócios seguem abertas até o próximo domingo, 24/5

MICHELLI MACHADO

Dentre os 67 pequenos negócios atendidos na primeira fase do projeto criado pelo curso de Gestão para Inovação e Liderança - GIL, está a Rapporter Brechó. A empresa tinha apenas um ano de mercado quando a pandemia chegou e estava num crescente de vendas e faturamento, com 20 mil peças vendidas no primeiro ano. No entanto, em razão do isolamento social, a loja precisou ser fechada e a empresa permaneceu inativa durante as primeiras semanas da pandemia.

Crédito: Divulgação

Foi nesse período, que Fernanda Pelufo, dona da Rapporter Brechó, se inscreveu no Projeto Pequenos Negócios do GIL e, de lá pra cá, muitas coisas mudaram no dia a dia de sua empresa. Ela conta que ficou sabendo do projeto por meio de um grupo de mães empreendedoras, do qual participa, e viu a iniciativa como uma possibilidade de encontrar uma saída para seus problemas.

O projeto desenvolveu um plano de ação completo para a Rapporter Brechó, onde foi possível identificar as dificuldades da empresa e traçar estratégias de marketing e segurança. “No momento em que a Rapporter procurou o GIL Pequenos Negócios, os artigos do estoque estavam se esgotando e para evitar possíveis problemas de contaminação, nenhuma roupa nova estava sendo adquirida”, lembra Fernanda.

Crédito: Divulgação

A partir do trabalho realizado pelo projeto, a empreendedora conseguiu ver o potencial do seu negócio e a oportunidade que a Rapporter tinha de conquistar uma parcela do mercado que, durante esse período, estava sem ser atendida. Assim, por meio da mentoria personalizada, foi desenvolvida uma maneira segura de higienizar as peças e otimizar o processo de atendimento online, e os resultados foram praticamente instantâneos.

Hoje, a loja foi reaberta, mas segue também com o atendimento virtual, e o número de vendas voltou a subir. “Após esse momento de retomada, por duas semanas, fizemos uma campanha em que a cada peça vendida uma máscara era doada para comunidades carentes”, conta Fernanda. A iniciativa fortaleceu a Rapporter em seu posicionamento como marca, impactando positivamente a sociedade. “Nossos principais diferenciais são as constantes novidades, em termos de roupas, e o nosso posicionamento, alinhado à sustentabilidade e ao consumo consciente”, afirma a empresária.

Crédito: Divulgação

Inscrições abertas

Essa é apenas uma das 67 histórias das empresas atendidas na primeira fase do projeto. Agora, em sua segunda fase, 45 pequenos negócios já estão inscritos para receber atendimento personalizado, que contará com o suporte voluntário de 47 alunos do GIL e 52 mestrandos e doutorandos dos cursos de Pós-Graduação em Administração, Gestão e Negócios, Ciências Contábeis e Economia.

Para saber mais sobre o projeto e fazer sua inscrição, clique aqui. As inscrições seguem até o próximo domingo, 24/5.