Professores da Unisinos conduzem estudo sobre aceitação da vacina contra Covid-19 no RS

MATHEUS N. VARGAS

Apesar de a vacinação ser uma prática antiga para o controle e prevenção de diversas doenças, ainda existe muito desconhecimento e preocupação acerca das vacinas por parte da população. Segundo o Programa Nacional de Imunização - PNI, nos últimos anos, foi registrado uma queda expressiva nas taxas de cobertura vacinal para diversas doenças, culminando inclusive no retorno de doenças que já haviam sido consideradas erradicadas no país.

Sabendo que a aceitação das vacinas pela comunidade, bem como a compreensão sobre a vacinação é essencial para a adesão da população, a coordenadora do curso de Biomedicina, Juliana Scherer, junto com a professora do curso de Medicina, Laura Sperling, a professora do curso de Psicologia, Priscila Renck e a professora em Ciências Sociais, Marília Veronese, está coordenando um estudo, cujo objetivo é fazer um levantamento sobre a aceitabilidade e as percepções que a população gaúcha tem sobre a vacinação contra a COVID-19, no intuito de, posteriormente, propor medidas efetivas de combate às fake News e de promoção à educação em saúde dentro desse tópico.

Juliana explica que toda a coleta de dados está sendo realizada de forma online. “Para participar do estudo, basta ter interesse em compartilhar suas opiniões sobre a vacinação contra a COVID-19, ser residente do Rio Grande do Sul e ter 18 anos ou mais. Após essa fase de coleta de dados iniciais, realizaremos uma segunda etapa de coleta de dados, através de entrevistas online, com aqueles participantes que demonstrarem disponibilidade e interesse. Essa segunda coleta visa a compreensão em profundidade sobre a aceitabilidade e percepções sobre a vacinação”.

A coordenadora conta que o intuito do estudo é gerar dados que possam guiar políticas públicas para ampliar a adesão à vacinação e, assim, contribuir com o controle da pandemia no RS. “A partir dos resultados, queremos preparar materiais baseados em evidência científica que seja de fácil entendimento pela população geral, a fim de aumentar o conhecimento do público sobre vacinas e combater informações falsas sobre essa temática”.

Juliana encerra convidando as pessoas a participarem da pesquisa. “É muito importante que pessoas de grupos sociais diversos participem, para que possamos ter uma maior representatividade da nossa população”.

Quer contribuir com a pesquisa? Clique aqui.