Egressos de Biomedicina da Escola de Saúde atuam no processamento dos testes Covid-19 na Unisinos

A operação é uma inciativa da Escola de Saúde, Tecnosinos e Hemocord, em parceria com BRDE

RHAVINE FALCÃO

No mês de abril, a Unisinos anunciou o início do processamento dos testes Covid-19. E dois egressos do curso de Biomedicina da Escola de Saúde da Universidade estão fazendo a diferença nesse trabalho. Julia e Felipe atuam de forma voluntária nessa linha de frente do processamento.

Crédito: Getty

Para a professora de Biomedicina, Priscila Lora, o voluntariado dos alunos, neste momento, demonstra as competências que norteiam a formação jesuíta desenvolvida na Unisinos. E evidencia que eles conseguiram identificar como a profissão pode estar somando neste momento difícil de pandemia.

“Acredito que essa ação valoriza a atuação do profissional de laboratório e empodera eles quanto ao seu impacto no sistema de saúde, pois como bem vem sendo relatado pela mídia, somente a realização de testes em larga escala vai contribuir para o norteamento das tomadas de decisão com qualidade”, completa Priscila.

Julia Konzen Moreira é formada em Biomedicina pela Unisinos e, no momento, cursa o Mestrado Profissional em Enfermagem. “Sempre estive inserida nas atividades da Universidade e mais uma vez não seria diferente em tempos de pandemia, como profissional de saúde sempre soube a importância de diagnosticar o maior número de pessoas possível”, explica.

Crédito: Divulgação

Felipe Mateus Pellenz também é formado em Biomedicina na Universidade, tem Mestrado Acadêmico em Endocrinologia e, no momento, cursa Doutorado na área. “Acredito que esta iniciativa seja de extrema importância neste momento, pois através dela seremos capazes de identificar, isolar e tratar os pacientes acometidos pela Covid-19 com muito mais rapidez e eficácia. Assim, colaborando com os demais laboratórios no desafogamento de amostras a serem analisadas”, afirma.

Os egressos contam que participaram desde o início do projeto do processamento dos testes, em parceria com profissionais da Escola de Saúde da Unisinos. “A Julia trabalha comigo nos projetos de pesquisa que desenvolvo, ela tem uma boa vivência de biologia molecular e foi uma das pessoas chave para operacionalização da técnica dentro do laboratório. O Felipe mantém contato conosco em parcerias, ele tem uma ampla vivência em biologia molecular e também foi um ator muito importante na definição dos aspectos da técnica e na concretização da operação”, explica Priscila.

As adequações necessárias foram feitas no laboratório do Hemocord, no Tecnosinos, o que garantiu a confirmação do nível 3 de biossegurança junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa. “Organizamos levantamentos de equipamentos e materiais que seriam necessários para ajudar na identificação da Covid-19”, completa Julia.

O Hemocord é uma empresa de biotecnologia e banco de células-tronco de sangue e tecido de cordão umbilical, com laboratório de criopreservação. “Atualmente, estamos atuando cerca de 6 a 8 horas diárias no combate à Covid-19, incluindo finais de semana e feriados. Ao longo das semanas, a estimativa é que nossa demanda aumente, o que fará com que tenhamos que recrutar mais profissionais para auxiliar neste combate à pandemia”, conta Felipe.

Como forma de ampliar a capacidade do laboratório durante a pandemia, também são utilizados equipamentos do Instituto Tecnológico Nutrifor (itt Nutrifor). Para Julia, todas as ações são importantes, é hora de nos reinventarmos. “Aproveito para agradecer todos os movimentos que com muita responsabilidade social surgiram nestes últimos meses e que acrescentam de alguma forma para prevenção da Covid-19. Precisamos lembrar que estamos em fase de aumento de número de casos e que é de extrema importância o distanciamento físico”, destaca.

Com a iniciativa é possível realizar 5.400 testes por mês, num sistema com capacidade para operar em três turnos. E os laudos ficam prontos em 24 horas.

Crédito: Divulgação

“Agradeço a todos os órgãos, entidades e profissionais que acreditaram e apostaram nesta iniciativa. Sem dúvida, estamos ajudando a fazer a diferença neste momento tão crítico”, conclui Felipe.

Municípios interessados em processar testes no laboratório devem entrar em contato pelo telefone (51) 99657-7979 ou através do email: unitec@unisinos.br.

A iniciativa faz parte de uma série de ações que vêm sendo desenvolvidas no ecossistema de inovação da Unisinos no combate à pandemia.