Economia Prateada

Em 2045, metade dos brasileiros será idoso

MATHEUS N. VARGAS

Segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU), a população de pessoas idosas (com mais de 60 anos) no mundo, chegará a 2,1 bilhões em 2050. A ONU também afirma que, hoje, no Brasil, 54 milhões de brasileiros têm mais de 50 anos e em 2045, metade dos brasileiros será idoso.

Crédito: Getty

A fundadora da Casa de Assessoria Desenvolvimento Humano e professora em cursos de Extensão da Escola de Gestão e Negócios da Unisinos, Monica Riffel conta que pessoas com mais de 50 anos representam a 3ª maior economia do mundo. “Então, se o mundo será dos grisalhos, precisamos entender o comportamento deles e pensar em marcas, produtos, serviços e negócios que atendam a esse público”, comenta.

De acordo com Monica, as pessoas passaram a ter uma perspectiva de vida maior e com qualidade em função de muitos avanços da medicina. “Muitos praticam esportes, viajam pelo mundo, optam por trabalhar com voluntariado e mentoria e outros tantos, passam a empreender em sonhos que foram deixados de lado”, explica.

Monica acredita que, hoje, aposentar-se não é sinônimo de ir para os aposentos, há muito para se fazer, aproveitar e interagir. “No entanto, o mercado sempre focou nos jovens, que por sua vez, também mudaram seus hábitos de consumo. Por exemplo, hoje não existe mais o desejo de comprar o primeiro carro, eles andam de aplicativo, não se interessam em comprar seu imóvel, pois vivem cada vez mais dentro da casa dos pais ou ganham o mundo”, opina.

Atenta a essa realidade, a Unisinos lança dois cursos de Extensão que abordarão essa temática. “É preciso pensar em ambientes, sinalizações, atendimento e produtos que atraiam essas pessoas para novas experiências”, sinaliza Monica, que será uma das professoras.

50+ um novo despertar

Ao longo da vida, as pessoas vão se descobrindo um ser integral, tomando consciência de quem são e o que se propõem a fazer. Um novo despertar vem para estimular reflexões sobre a maturidade e colocar projetos de vida à tona, reescrever um novo capítulo e promover uma investigação profunda, de qual entrega queremos fazer para o mundo.

Monica Riffel explica que a vida dos maduros mudou drasticamente. “Os 50+ passam por um forte preconceito no mercado de trabalho, justamente quando mais têm a contribuir com sua experiência e inteligência emocional. Além disso, sua vitalidade e energia estão elevados, capazes de entregar conhecimento por um longo tempo”, afirma.

Alunos do curso de Extensão Um novo despertar farão um mergulho profundo sobre o que ainda estar a serviço na sociedade ou do que ainda quer permitir-se fazer nos próximos anos de vida. Para mais informações e realizar sua matrícula, clique aqui.

Business 50+

As marcas por muito tempo focaram nos consumidores jovens, porém as novas gerações estão mostrando que o ticket médio de consumo é baixo. Em contrapartida, os 50+, que englobam todas as faixas etárias subsequentes, são os que mais irão consumir e gerar a economia, denominada Economia Prateada. A estimativa é de 1,8 trilhões, porém poucos são os negócios que focam neles.

A professora conta que o Brasil está envelhecendo e que Porto Alegre é a 2ª capital com maior população de 50+ no país, porém, o perfil do maduro mudou. “Ele não é mais o estereótipo do velho. É possível notar que o comportamento migrou para o conceito de envelhescência, ou seja, iremos ver maduros jovens, praticando esportes radicais, estudando em universidades novamente e investindo muito em lazer”, afirma.

No curso de Extensão Business 50+, você terá uma ampliação de oportunidades para readequar negócios ou empreender em serviços e produtos focados neste público, que será a 3ª maior economia do mundo. Se interessou? Para mais informações e realizar sua inscrição, clique aqui.