Mestrado pode abrir portas no mercado e na academia

Formação enriquece currículo e oferece novas possibilidades de atuação

MÁRCIA SCHULER

Seja no mercado ou na academia, o mestrado abre portas para quem deseja ascender na carreira ou mudar sua trajetória. Essa formação aprofunda o conhecimento do profissional, tornando seu currículo mais interessante para o mercado e, ao mesmo tempo, ampliando as possibilidades de atuação para os campos da pesquisa e da docência.

Além disso, é uma oportunidade de desenvolver projetos e ideias que interessem ao mestrando. Nesse sentido, é importante observar que, diferentemente do que acontecia no passado, as carreiras não são mais lineares - o que significa que é comum que alguém que se graduou em um curso da área da saúde opte por um mestrado em gestão, por exemplo.

[Mestrados Crédito: Getty Images

Essas afirmações valem tanto para o Mestrado Profissional quanto para o Mestrado Acadêmico, mas isso não significa que não existam diferenças entre os dois. Por estar mais voltado à pesquisa acadêmica e à docência, o Mestrado Acadêmico é, geralmente, considerado por quem tem interesse específico em atuar em uma instituição de ensino.

Já o Mestrado Profissional costuma ser mais visado por quem deseja desenvolver uma pesquisa voltada à sua área de atuação no mercado. Além disso, ele também habilita o profissional à docência no ensino superior. “Existem muitos profissionais que têm o conhecimento e gostariam de compartilhá-lo como professor, mas não ter mestrado acaba sendo uma barreira”, afirma Luciane Linden, psicóloga, orientadora de carreira e coordenadora do Programa de Gestão de Carreiras da Unisinos.

Luciane destaca, ainda, que o profissional também pode aproveitar o seu mestrado - seja ele Acadêmico ou Profissional - para desenvolver um projeto para utilizar em seu próprio negócio, ou seja, também é uma forma de fomentar o empreendedorismo com o amparo de uma pesquisa científica.

Por isso, aos profissionais que descartam a possibilidade do mestrado por relacioná-lo apenas com a docência, Luciane avisa: ele não é limitador, mas sim uma forma de ampliar as possibilidades do profissional. Afinal, ele pode aplicar seu conhecimento na organização em que atua, desenvolver o próprio negócio ou atuar em uma instituição de ensino superior - e essas possibilidades podem ser, inclusive, combinadas.

Networking e novas experiências

Antes de escolher um programa de mestrado, Luciane recomenda buscar uma aproximação com o Programa de Pós-Graduação, observar os currículos dos professores e conhecer suas linhas de pesquisa. Se desejar, pode marcar uma conversa com os docentes do curso para falar sobre suas ideias e projetos.

Feita essa escolha, ao longo dos dois anos de mestrado é interessante formar parcerias com colegas de grupos de pesquisa para realizar projetos e publicações. Além disso, é recomendado aproveitar as oportunidades de apresentar trabalhos em eventos, ainda que a pesquisa não esteja concluída. “Assim, você vai fazendo networking e gera novas possibilidades profissionais”, diz Luciane.

O aluno de mestrado também deve estar atento às possibilidades internacionais. A Unisinos conta com parcerias no exterior, o que significa que é possível fazer parte do programa fora do país e, se desejar, fazer contatos para a realização posterior de um doutorado. “O segredo é ampliar a sua rede”, acrescenta a orientadora.

É importante destacar, ainda, que existem diferentes possibilidades de bolsas e condições de pagamento para a realização do mestrado. Para saber mais sobre cada Programa de Pós-Graduação, clique aqui.

Se você estiver em dúvida sobre como o mestrado pode impactar sua carreira ou se é ou não um bom caminho para você, procure a orientação do Unisinos Carreiras.