Gastronomia ao alcance de todos

Alunos ministram oficina de culinária para moradores da Ocupação Justo, de São Leopoldo

VANESSA IORIS - FUNPET

Alunos do curso de Gastronomia trocaram de papel na noite desta segunda-feira, 23/09. No Espaço Gastronômico Bistrô, no campus São Leopoldo, eles foram os professores responsáveis por ensinar boas práticas no preparo de alimentos e técnicas para produção de salgados, como risoles, coxinhas e bolinhas de queijo, para cerca de 20 moradores da Ocupação Justo, da cidade.

[Oficina de Gastronomia para moradores da Ocupação Justo Crédito: Janaína Costa

Esta é a segunda vez que esse tipo de oficina é realizada. A primeira edição ocorreu em Porto Alegre, com moradores de famílias de baixa renda da Vila Caddie. A iniciativa, que faz parte da curricularização da extensão, é desenvolvida pela Atividade Acadêmica de Gastronomia e Ensino, em parceria com a Atividade Acadêmica Gastronomia na Hospitalidade e no Turismo.

[Oficina de Gastronomia para moradores da Ocupação Justo Crédito: Janaína Costa

De acordo com a professora responsável, Viviane Ines Weschenfelder, a oficina tem como objetivo ampliar o alcance e promover o impacto social da Universidade, por meio do trabalho dos alunos de Gastronomia com a comunidade. “A partir dessa iniciativa, podemos oportunizar aos estudantes as competências relacionadas ao ensino e à hospitalidade e, ao mesmo tempo, proporcionar aos moradores o aprimoramento de suas habilidades culinárias e a ampliação de suas possibilidades de produção de renda”, explica.

Durante o primeiro dia de capacitação, os alunos de Gastronomia começaram ensinando boas práticas de manipulação e preparo dos alimentos, de forma higiênica e segura. Depois, partiram para a receita do risoles. Mostraram como preparar a massa, que é a mesma utilizada para as coxinhas e as bolinhas de queijo. Na sequência, foram ensinados os passos para o recheio, modelagem, empanamento e fritura do salgado.

[Oficina de Gastronomia para moradores da Ocupação Justo Crédito: Janaína Costa

Para Jucimara de Oliveira Flores, que faz parte da liderança da Ocupação que conta com cerca de 2.500 famílias, a oficina serve como estímulo inicial para quem deseja atuar na área do ramo alimentício. “Nós mesmos procuramos a Universidade e sugerimos o aprendizado no preparo de salgados, pois são opções para serem comercializadas e que podem auxiliar na renda das famílias”, conta.

A atividade segue na noite desta terça-feira, 24/09, para o ensino de outra receita. Os moradores da Ocupação Justo vão aprender a preparar pizzas. E a oficina não deve parar por aí. Os alunos ainda demonstrarão como calcular o custo de produção, preço para a venda do produto e como garantir o lucro. “Nossa turma quer passar a ideia de que com pouco a gente consegue fazer muitas coisas”, enfatiza a aluna do curso de Gastronomia, Manuela Santos Caixinhas.

[Oficina de Gastronomia para moradores da Ocupação Justo Crédito: Janaína Costa

O curso de Gastronomia está oferecendo toda a infraestrutura necessária para a realização da oficina. Além da compra de insumos para o preparo dos alimentos, um ônibus foi colocado à disposição para o deslocamento dos moradores durante as duas noites. Ao final da capacitação total de cinco horas, os participantes receberão um certificado.