A ciência que a gente entende

Oficinas tratam assuntos científicos de forma lúdica e simplificada

PÂMELA OLIVEIRA
09 de Junho de 2015 - 16:14 | Atualizado: 09 de Junho de 2015 - 17:40

A ciência tem o dom de transformar. Quando tratada de forma lúdica, então, tanto melhor: aprender fica mais divertido e bem menos complicado. Pensando nisso, a Unisinos está promovendo a II Mostra de Popularização da Ciência e a V Feira de Educação. As atividades acontecem no campus de São Leopoldo, até quarta-feira, 10 de junho.

[TEXTO ALTERNATIVO DA IMAGEM

O evento é voltado a alunos de Escolas de Ensino Fundamental e Médio da região. Nos dois dias de Mostra e Feira, mas de 1200 estudantes devem participar das oficinas. Para quem já experimentou esse contato com a ciência, o resultado tem sido positivo. “É uma forma diferente de adquirir conhecimento, de aprender coisas novas”, disse a estudante Vitória Santos, 13 anos, ao concluir um jogo em inglês com suas colegas de turma.

[TEXTO ALTERNATIVO DA IMAGEM

As oficinas são variadas e abrangem diferentes áreas de conhecimento. Para Wesley Rocha, 16, a que mais interessou foi a de projetos de Tecnologia da Informação, enquanto que, para Franciele Oliveira, 17, a de origami mereceu atenção especial. “Não conhecia a técnica da dobradura, por isso, resolvi participar da atividade”, compartilha Franciele, que também já anda pensando no futuro. “Estou em dúvida entre cursar Psicologia ou Gastronomia aqui na Unisinos, vamos ver.”

[TEXTO ALTERNATIVO DA IMAGEM

Estudantes da graduação, aliás, também se envolvem com as atividades. É o caso, por exemplo, dos alunos Tiago Beneli e Bruna Auth, da Matemática, que expõem trabalhos de aula no evento. “Estamos apresentando maquetes feitas na disciplina de Trigonometria e explicando alguns conceitos”, comenta Bruna. “Os alunos que chegam aqui querem saber sobre nossos projetos, entender do que tratam”, complementa Tiago.

A curiosidade, afinal, é uma das principais características dos jovens cientistas. De acordo com a professora Silvana Luisa Heinz, da E.M.E.F. Meno Dhein, o envolvimento dos estudantes tem sido surpreendente. “Eles procuram bastante, comentam, querem fazer tudo”, contou. A mesma percepção teve a professora Marita Redin, da Pedagogia da Unisinos, que tem ministrado oficinas de mosaicos. “Tentamos utilizar materiais com os quais os alunos não têm muito contato no dia a dia, pedras, enfeites etc., e eles estão adorando”, finalizou.

A II Mostra de Popularização da Ciência e a V Feira de Educação segue até amanhã (10/06). Saiba mais no site.