Universitários texanos conhecem campus São Leopoldo

O grupo que participa do Global Citizenship Program teve um dia de atividades e pode conhecer um pouco mais do campus leopoldense

RODRIGO W. BLUM
12 de Janeiro de 2015 - 17:23 | Atualizado: 13 de Janeiro de 2015 - 09:20

Se alguém algum dia comparou o Rio Grande do Sul com o Texas, nos Estados Unidos, por causa do prato típico principal, saiba, nosso churrasco é melhor. Isso segundo os próprios texanos, ou, pelo menos, os dez alunos da Mays Business School, da Texas A&M University, que visitaram o campus São Leopoldo da Unisinos em 12 de janeiro, pelo Global Citizenship Program. Claro, a comparação entre estados é uma brincadeira entre sulistas, mas não é sem motivos, afinal, depois de cerca de uma semana estudando o Brasil, e seus desafios nos âmbitos de lideranças, mercado, tecnologia, preservação ambiental e cultura, o grupo de universitários, que está aqui desde o dia 5 de janeiro, pode perceber várias semelhanças entre um lugar e outro.

[Alunos do Texas Visitam Unisinos

Mas, se a culinária e um verão de temperaturas altas aproximam gaúchos e texanos, fatores como o cuidado com o meio ambiente fazem a divergência. “Essa visita abriu bastante meus olhos para questões que eu não sabia sobre o Brasil, especialmente sobre produção de energia hidroelétrica, e outras fontes de energia, aliada ao cuidado com o meio ambiente. Nesse ponto os EUA ainda têm muito que aprender com o Brasil, principalmente na questão de preservação ambiental”, destaca Foster Daly, que também ficou surpreso com a colonização alemã na região. 

As surpresas em relação ao nosso país não terminaram por aí. Para Helen Rieger, a impressão sobre o Brasil era bem diferente. “Vindo para cá, percebi que americanos e brasileiros vivem de maneira muito semelhante”, conta a universitária. Os estudantes ficaram muito impressionados com quantidade de áreas verdes do campus São Leopoldo e, também, com o prédio da Biblioteca. “Claro, por dentro, o cenário de estantes com livros é bem similar ao que vemos no Texas, mas a claraboia é muito bonita”, diz Andres Cantafio, que era quem mais se sentia em casa. “Nasci e cresci na Venezuela e, voltando para a América Latina, me sinto de volta às minhas origens. Para mim, isso é muito importante para retomar a cultura latino-americana. É um lembrete de que não se pode esquecer suas raízes”, comenta. 

[Alunos do Texas Visitam Unisinos

Hospitalidade à moda brasileira

Como um grupo de americanos, que está no Brasil pela primeira vez, pode conhecer os lugares mais legais da região metropolitana? Simples, com o contato com estudantes brasileiros. O Global Citizenship Program contempla não só os estudantes estrangeiros que vêm ao Brasil, mas também estudantes da graduação da Unisinos com o objetivo de “apresentar” a nossa cultura aos visitantes. Foram selecionados, na edição de 2015, quatro graduandos que atenderam aos requisitos do edital, publicado na página de mobilidade acadêmica da universidade. 

“Além de praticar o inglês, que é uma oportunidade rara aqui dentro do nosso país, eu tive a chance de aprender sobre marketing e administração, áreas distantes da minha graduação em Engenharia Civil, o que está agregando muito em minha formação”, conta aluna Letícia Zuchetto, uma das selecionadas para o programa. Ela conta que os americanos aproveitaram bastante a noite porto-alegrense e puderam conhecer diversos pubs da capital. “Estou acompanhando eles em tudo, nas aulas, programas culturais, e está sendo bem legal”, diz Letícia.

Para os americanos, a hospitalidade dos universitários brasileiros fez toda a diferença. “Eu fiquei muito surpreso com a hospitalidade. Eu esperava que nós recebêssemos ajuda, mas fiquei muito grato com a prontidão dos brasileiros em nos mostrar seu país. Esses estudantes e professores têm suas famílias e amigos, mas dedicaram todo seu tempo para nos ajudar a conhecer mais sobre o Brasil”, conta Foster.  

[Alunos do Texas Visitam Unisinos

O Global Citizenship Program

O projeto é promovido pela Unidade Acadêmica de Graduação da Unisinos com objetivo de proporcionar aos alunos de graduação discutir sobre os desafios do século XXI. Nesse sentido, eles acompanham aulas sobre vários assuntos, como liderança, negócios, inovação e direito. 

Considerando o novo papel do Brasil na comunidade internacional, o programa vai oferecer aos estudantes a oportunidade de aprender e entender o contexto brasileiro nessas áreas por meio de palestras, a aprendizagem pela ação, visitas a empresas e atividades culturais. Reunindo professores e alunos de diferentes partes do mundo, este programa vai explorar diversas origens e oferecer oportunidades para o estabelecimento de redes, fazer novos amigos e desfrutar de experiências únicas no Brasil.

Quem organizou a vinda dessa primeira turma pelo Global Citizenship Program foi o professor da graduação e do PPG em Administração, Rafael Teixeira, que estudou durante dois anos na Texas A&M University, durante seu doutorado. O professor acabou se tornando o contato para a realização do programa e tomou a frente das tratativas e coordena a parte acadêmica da visita.

A turma ficará no Brasil até o fim da semana, com diversas atividades acadêmicas e culturais. No campus São Leopoldo, o dia começou com uma aula com a professora Daria Panina, que leciona na universidade texana e também participa do programa. Em seguida ocorreu uma visita ao gabinete do reitor, onde o Pe. Marcelo Fernandes de Aquino conversou com os estudantes. Na parte da tarde foi o momento de conhecer melhor o campus e a biblioteca. Em seguida, o grupo partiu para o Zoológico de Sapucaia do Sul.