Estudantes da Unisinos participam de mobilidade acadêmica virtual

Nova opção surge em meio à pandemia como alternativa para a continuidade do intercâmbio de conhecimentos e culturas

LAURA BLOS

A pandemia do novo coronavírus vem interferindo no cotidiano de todos ao redor do mundo e a educação também está precisando se adaptar para enfrentar esse novo momento. Por conta disso, os programas de mobilidade acadêmica buscaram novas formas de promover o intercâmbio cultural e de conhecimento entre alunos e universidades de todo o mundo. E a Unisinos está junto nessa.

Os alunos Rodrigo Junges, estudante de Arquitetura e Urbanismo, e Norton Pereira,aluno do curso de Sistemas de Internet, aproveitaram esse período para realizarem seus estudos em universidades fora do país, com auxílio da Unisinos, por meio virtual. Ou seja, os universitários seguem no Brasil, mas realizando disciplinas em universidades estrangeiras.

Facilidade do acesso remoto Norton está fazendo o intercâmbio através do acordo bilateral entre a Unisinos e a Universidade de Deusto, na Espanha. “O aprendizado está sendo muito bom. As aulas são de alta qualidade e o conceito que foi oferecido é o de Campus Virtual. Quer dizer, existe o empenho de que a experiência vá além de um aprendizado EAD. A intenção é que tenhamos uma imersão na cultura do País Basco e na vida acadêmica", afirma o estudante. E as facilidades permitidas pelo acesso remoto, também são destacadas por Norton. “Um intercâmbio presencial é uma experiência muito rica. No entanto, sem essa oportunidade virtual, eu não teria condições de realizar essa meta nem a médio prazo. Dessa forma, toda experiência está sendo possível graças à oferta no formato virtual”, comenta.

Já Rodrigo está realizando atividades de Arquitetura e Urbanismo na Universidade Anáhuac, Campus Norte, no México, através do programa American Mobilitas, promovido pela rede ODUCAL (Organización de Universidades Católicas de América Latina y Caribe), da qual a Unisinos faz parte. Rodrigo já participou de outros programas de mobilidade acadêmica e acredita que o intercâmbio remoto democratiza o estudo. “Eu já fiz dois outros intercâmbios presenciais pela Unisinos, um para a Espanha pelo “Top Espanha Santander” e outro para a Bolívia com o programa “Marca”; portanto, eu acredito que a forma virtual, ainda que limitada, é uma ótima ferramenta, principalmente para a democratização do acesso ao intercâmbio, uma vez que os gastos envolvidos em uma atividade desse porte são geralmente bastante elevados”, defende.

Outro ponto destacado pelos alunos é o apoio oferecido pela Unisinos. “O processo para participar do programa foi rápido e graças ao apoio do Escritório de Internacionalização da Unisinos saiu tudo bem. Destaco a atuação da universidade que, prontamente, respondeu todas as minhas dúvidas e me orientou”, afirma Norton.

Expansão de conhecimentos

As disciplinas cursadas em universidades estrangeiras podem ser aproveitadas como créditos obrigatórios ou horas complementares, sendo a experiência de mobilidade acadêmica uma grande contribuição para a formação profissional dos estudantes. “Existe a possibilidade de trocar informações com pessoas de vários países o que é enriquecedor. No contexto formal do aprendizado, a cadeira de "Big Data Analytics", que estou cursando, traz um conhecimento em uma área muito valorizada no momento e que será indispensável a partir de agora. O que me faz planejar fazer, no futuro, a especialização "Big Data, Data Science e Data Analytics" aqui da Unisinos. Já "Español para Extranjeros Nivel Avanzado" e "Introduction to Basque Language and Culture” são conhecimentos indispensáveis para se fazer uma leitura crítica da sociedade nesse mundo cada vez mais globalizado”, declara Norton.

Rodrigo, que está cursando disciplinas que não fazem parte do seu currículo aqui no Brasil, também avalia positivamente o impacto em sua formação. “Eu acredito que contribui enormemente, pois posso expandir e trocar experiências com mais estudantes, tanto locais, quanto intercambistas, como se fosse um intercâmbio no modelo tradicional e ainda posso conhecer muito a cultura mexicana. Sem contar os fatos como estudar matérias diversas que compõem a grade deles, mas não são exploradas na nossa, expandindo muito mais a minha compreensão da arquitetura”, avalia Rodrigo.

A Unisinos conta com diversos programas e acordos bilaterais que permitem o intercâmbio dos alunos para os mais diversos países. Clique aqui e veja os editais de mobilidade acadêmica que estão com inscrições abertas.