UniMulherAda apoia a presença feminina no mercado de TI

Lançamento do grupo foi realizado durante a Semana Acadêmica da Escola Politécnica

VANESSA IORIS - FUNPET

Nas empresas de tecnologia do país, as mulheres são minoria. Conforme a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio do IBGE, elas representam apenas 20% dos profissionais que atuam no mercado de Tecnologia da Informação (TI). Alguns movimentos buscam trabalhar para a mudança desse cenário. Um deles é o recém-criado UniMulherAda. O nome faz referência à Ada Lovelace, primeira programadora do mundo.

O grupo é uma iniciativa de professoras e alunas de cursos da Unisinos, como Sistemas de Informação, Gestão da Tecnologia da Informação, Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Sistemas para Internet, Ciência da Computação, Segurança da Informação e Jogos Digitais. Empresárias e profissionais da Unidade de Inovação e Tecnologia da Unisinos (Unitec) e do Parque Tecnológico São Leopoldo (Tecnosinos) também fazem parte do projeto.

[UniMulherAda Crédito: Rodrigo W. Blum

O objetivo é reunir esforços para a realização de ações que incentivem e apoiem as mulheres para o desenvolvimento de suas carreiras na área de TI. Como primeiro passo, elas realizaram nessa quarta-feira, 16/10, a palestra “Mulheres da TI Unisinos: vamos construir a história deste grupo juntas!”. O evento ocorreu no Auditório Sérgio Concli Gomes, no Campus São Leopoldo, durante a IV Semana Acadêmica da Escola Politécnica da Unisinos.

A ideia foi oficializar o lançamento do grupo e apresentar as propostas de trabalho. “A área de TI é uma das mais importantes e que mais tem demanda no mercado de trabalho. Queremos mostrar para as nossas meninas e mulheres que elas podem pensar nesse setor como uma possibilidade de carreira e que podem contar com o nosso apoio”, explicou Denise Bandeira, coordenadora dos cursos de Sistemas de Informação e de Gestão da Tecnologia da Informação da Universidade.

[UniMulherAda Crédito: Rodrigo W. Blum

Durante o evento, foram trazidos dados e informações sobre o tema. Susana Kakuta, CEO do Tecnosinos e uma das palestrantes convidadas, comentou que as mulheres representam somente 15% do quadro de colaboradores do Parque. “Mas praticamente 50% dessas empresas instaladas têm mulheres no seu corpo diretivo”, destacou. Outro momento do encontro foi dedicado para o compartilhamento de experiências de grupos que já desenvolvem um trabalho relevante de apoio à presença feminina nesse mercado, como “Women Game Jam”, “SAP Labs Digitalization Portfolio by Women in Dev”, “program.ada”, “Talentos Mulher Unitec” e “Girls in Tech”.

Jaqueline Dahmer Steffenon, aluna do oitavo semestre do curso de Ciência da Computação da Unisinos, é representante do “Girls in Tech” no Rio Grande do Sul e agora também faz parte do UniMulherAda. “Queremos tornar os ambientes mais confortáveis para as mulheres, que são minoria em sala de aula, aumentar o índice de procura nos cursos de computação e empoderá-las de que o lugar delas também é na tecnologia”, afirmou.

[UniMulherAda Crédito: Rodrigo W. Blum

O final do evento foi marcado por um painel de perguntas da plateia e debate com as convidadas. Tudo para que a interlocução entre a Universidade e o mercado de trabalho seja peça fundamental para a questão da equalização de gêneros no setor, que pode apresentar um déficit de 290 mil profissionais em 2024, de acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), em relatório divulgado recentemente.

A programação da IV Semana Acadêmica da Escola Politécnica da Unisinos segue até o próximo sábado, 19/10. São 80 atividades gratuitas, no total, envolvendo 27 cursos de graduação e pós-graduação da Unisinos. Ainda é possível realizar inscrição no site.