Alimentação do futuro

Tema foi abordado durante a Open Food Innovation Summit

COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL

Você sabia que no futuro as receitas serão criadas por inteligência artificial? A produção de alimentos e da agricultura vai acontecer a menos de 5km da sua casa? E que 50% do que você vai comer daqui 5 anos ainda não está no seu prato? Todas essas respostas vão criar um mercado de 93 bilhões de dólares, mais de 3 mil novas empresas e vão impactar mais de 1 bilhão de pessoas nos próximos 5 anos.

[Open Food Innovation Summit Unisinos Porto Alegre Crédito: Rodrigo W. Blum

Isso tudo foi tema do maior evento sobre o futuro da alimentação que movimentou o Campus Porto Alegre, nessa terça-feira, 10/9. Open Food Innovation Summit contou com uma série de atividades que aconteceram no Teatro Unisinos durante todo o dia. Palestras apresentaram uma visão dos temas mais importantes desse mercado, como: Agricultura 4.0, Food Hacking, Instafood, Innovation RS e The future of chefs.

[Open Food Innovation Summit Unisinos Porto Alegre Crédito: Rodrigo W. Blum

Um dos momentos da tarde, teve como tema Foodbiz. Os palestrantes foram: Tobias Chanan da Urban Farmcy; Natielly Cardoso e Rafaela Gomes da 400g; e Victor Magnani da Loggi. Durante suas apresentações, eles falaram sobre alimentação do futuro.

Tobias destacou como a tecnologia vem influenciando no desenvolvimento de novos negócios. Para ele, é possível produzir alimentos de forma positiva para o meio ambiente. “O conceito é a união do alimento com técnicas de preparo que permitem explorar ao máximo esse alimento. Um olhar diferente na hora de elaborar um prato, um alimento”, afirmou.

[Open Food Innovation Summit Unisinos Porto Alegre Crédito: Rodrigo W. Blum

Rafaela e Natielly explicaram que a “400g” é uma startup que potencializa a agricultura no mercado. Elas destacaram a importância da preservação do meio ambiente. “Temos que preservar a água e o meio ambiente se queremos um futuro da alimentação”, afirmou Natielly.

[Open Food Innovation Summit Unisinos Porto Alegre Crédito: Rodrigo W. Blum

Para Rafaela, a ideia da 400g é passar para as pessoas esse olhar sobre a importância de se conectar com a natureza, com o alimento. E entender o propósito e a importância de consumir alimentos saudáveis. “O que é 400g? É uma recomendação da Organização Mundial da Saúde que cada ser humano deveria consumir, pelo menos, 400g de hortifrúti por dia”, explicou.

Victor falou sobre as mudanças no mercado de alimentação. “O mundo sempre mudou, agora muda mais rápido. Plataformas de delivery estão promovendo mudanças reais no nosso dia a dia”, afirmou.

[Open Food Innovation Summit Unisinos Porto Alegre Crédito: Rodrigo W. Blum

E o público do evento ainda teve a oportunidade de aproveitar uma feira que reuniu as maiores referências do setor, como: Ifood; Tastemade; NotCo; Mighty Greens; entre outras grandes empresas que contaram seus cases de sucesso. O itt Nutrifor também marcou presença. “Mostramos nosso modelo de trabalho Universidade-empresa, que é um diferencial”, afirmou a coordenadora do instituto, Renata Ramos. Ela explica que a ideia foi mostrar a forma como o itt trabalha com as empresas gerando produtos com maior valor agregado não apenas para a empresa, mas também para consumidores. O Nutrifor é a única empresa que faz esse trabalho no Brasil.

[Open Food Innovation Summit Unisinos Porto Alegre Crédito: Rodrigo W. Blum