Empresa do Tecnosinos recebe alunos norte-americanos

ROBERTO CALONI
22 de Março de 2016 - 16:13 | Atualizado: 22 de Março de 2016 - 16:26

Um grupo de 16 alunos da universidade norte-americana de aeronáutica, Embry-Riddle visitaram o Tecnosinos, na última quinta-feira (17/3), para conhecer a empresa Arpac. O encontro proporcionou a troca de conhecimentos entre os estudantes estrangeiros e a equipe de engenheiros da empresa.

[Empresa do Tecnosinos recebe alunos norte-americanos

A Arpac, sigla para Aeronave Remotamente Pilotada de Alta Capacidade, é uma startup gaúcha que desenvolve drones voltados a transporte de cargas de alta capacidade. Seu primeiro projeto, que está em desenvolvimento, são drones para pulverização de pesticidas em lavouras.

Os visitantes foram recebidos por Eduardo Goerl, um dos sócios da empresa, que mostrou o atual cenário da pulverização de lavouras no Brasil e explicou mais sobre o projeto. Segundo Eduardo, os estudantes demonstraram interesse na inovação, perguntando sobre a parte técnica, sobre regulamentação e, principalmente, sobre os benefícios que o produto pode trazer ao mercado.

[Empresa do Tecnosinos recebe alunos norte-americanos

O estudante Chris Senn ficou empolgado com a visita ao Brasil, e principalmente, a Arpac, pois esta desenvolvendo um projeto de pesquisa sobre como os veículos não tripulados estão sendo utilizados em cada país. “Quero ver como eles estão sendo utilizados em diversos países, se há alguma fiscalização ou regulamentação, tanto veículos aéreos quanto terrestres, aquáticos e espaciais”, conta. Começando sua pesquisa pelo Brasil, Chris aproveitou para conversar com os engenheiros da Arpac. “A conversa com o aluno Chris nos proporcionou evoluções, principalmente numa parte importante do projeto que são as baterias de lítio”, comenta  Eduardo Goerl.

A Embry-Riddle é uma das universidades mais conceituadas mundialmente no ensino de aviação, tanto civil quanto militar, de aeronaves tripuladas e não tripuladas, desempenhando importante papel na formação de profissionais de aviação nos últimos 90 anos.  Essa foi a primeira vez que alunos da instituição norte-americana estiveram na Unisinos.