Da Graduação ao Doutorado na Unisinos

Antônia se formou em Pedagogia em 2013 e, atualmente, faz estágio doutoral em Portugal

MATHEUS N. VARGAS

Antônia Neves se formou em Pedagogia na Unisinos em 2013. Em 2016, concluiu o Mestrado com uma pesquisa sobre a formação de professores nos cursos de Pedagogia e, atualmente, está em Portugal, fazendo o estágio doutoral na Universidade do Porto. Antônia está construindo toda sua trajetória acadêmica na Universidade e nos conta um pouco dessa caminhada.

Crédito: Divulgação

Desde muito pequena, a estudante sempre quis ser professora e ajudar a mudar o mundo das pessoas através da educação. “Quando comecei a buscar informações sobre cursos de graduação, percebi que a Pedagogia me permitia atuar em diversos espaços e que, em cada um desses espaços, uma pedagoga tem papel fundamental com o desenvolvimento dos processos de ensino e aprendizagem”, explica.

Antônia concluiu o Mestrado em Educação no ano de 2016. “Minha pesquisa de Mestrado foi sobre a formação de professores nos cursos de Pedagogia. Eu já havia tido contato com o tema da formação de professores enquanto realizava meu Trabalho de Conclusão de Curso e também quando participava do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID/Unisinos/CAPES), de modo que busquei dar continuidade aos estudos que realizei na graduação”, afirma.

Em sua dissertação, mapeou quais eram as principais ênfases que os cursos de pedagogia condecorados com o selo 5 estrelas do Guia do Estudante no Rio Grande do Sul desenvolviam, de modo a perceber quais características os pedagogos formados nesses cursos carregavam consigo. “A motivação para este trabalho se deu em grande parte por toda a experiência que tive em minha própria formação no curso de Pedagogia da Unisinos, que também tem o selo 5 estrelas”, justifica.

Doutorado Sanduíche na Europa

Atualmente em Portugal, Antônia trabalha em sua tese de Doutorado com o tema Escolas Inovadoras, que, segundo a doutoranda, está em alta na área da educação. “Quando eu escolhi esse tema, em 2016, esse cenário era um pouco diferente, não se falava tanto em inovação, mas percebi com minha orientadora e meu grupo de pesquisa que esse era um tema emergente“, completa.

Durante toda sua formação, a estudante teve contato com os estudos de ponta e com metodologias de ensino e aprendizagem que buscavam promover a melhoria da educação, essas possibilidades fizeram com que se tornasse uma professora que está sempre buscando o melhor para seus alunos através da inovação. O objeto de estudo sempre esteve presente na vida acadêmica e profissional da doutoranda. “As pesquisas têm a necessidade de pensar e problematizar as verdades sobre a educação e sobre aquilo de que está se falando muito, justamente para qualificar nosso trabalho e pensar criticamente sobre as práticas que desenvolvemos”, enfatiza Antônia.

Crédito: Divulgação

A partir de uma experiência que teve em uma escola de metodologia inovadora, foi que ela percebeu que esse era um tema pouco explorado em estudos científicos da área da educação e que era um estudo importante de ser desenvolvido. “Minha pesquisa se dedica a compreender como se tem desenvolvido práticas de inovação em escolas consideradas inovadoras e como a mídia mostra essas práticas, por isso tenho analisado a série Destino Educação: Escolas Inovadoras, do Canal Futura, que se dedicou a mostrar casos de sucesso na inovação educacional”, complementa.

Em Portugal, em seu doutorado sanduíche, Antônia desenvolve um estudo sobre escolas públicas que participam do Projeto Piloto de Inovação Pedagógica do governo de Portugal, que visa dar autonomia para as escolas escolherem como irão desenvolver suas práticas de inovação de acordo com suas necessidades. Doutorado Sanduíche é conhecido por ser a principal oportunidade aos alunos de doutorado de cursar parte dos estudos fora do país. As bolsas de pesquisa no exterior são oferecidas pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

Para concorrer a uma dessas bolsas, Antônia escreveu um projeto que demonstrou a importância da realização deste estudo em Portugal e como ele tinha relação direta com a tese que está desenvolvendo no Doutorado. “Além disso, toda a minha trajetória acadêmica contou positivamente para que eu pudesse conquistar essa oportunidade”, completa.

Por que a Unisinos?

A doutoranda afirma que escolheu a Unisinos, em parte porque já há muito tempo ouvia falar da excelência da formação na Universidade. “Minha maior motivação para escolher realizar o curso de graduação e continuar minha formação nessa Universidade, foi a minha percepção dos profissionais que se formavam na Unisinos, no mercado de trabalho”, justifica.

Quando estava terminando o ensino médio, Antônia realizou vários estágios em escolas de ensino fundamental e educação infantil e, nesses espaços percebia que colegas professoras que estudavam ou já tinham se formado em Pedagogia na Unisinos, desenvolviam sua profissão de maneira diferente e qualificada. “Percebia que as práticas mais reflexivas, inclusivas e até inovadoras eram desenvolvidas e propostas por colegas que frequentavam a Unisinos e essa percepção me deu a certeza de que a Uni era a universidade certa para a formação de qualidade que eu queria para a minha vida”, afirmou.

Crédito: Divulgação

Para o futuro, Antônia pretende trabalhar em prol da educação no Brasil, podendo dividir com o maior número de pessoas possível, principalmente com outros professores e com escolas públicas as experiências e a pesquisa que têm desenvolvido sobre inovação. “Nosso país precisa de gente que pense sobre isso, que fale sobre como temos a capacidade de inovar e melhorar nossa educação através de boas políticas públicas, da formação de professores e, principalmente do respeito ao lugar da educação na constante construção do Brasil. Ainda temos muito o que fazer para que nossa educação mude de verdade e para melhorar eu quero fazer parte dessa mudança”, finaliza a doutoranda.