Visita ao Teatro São Pedro

Aluna do GIL relata sua experiência

JULHETE MIGNONI
04 de Maio de 2015 - 11:32 | Atualizado: 04 de Maio de 2015 - 11:57

No final do mês de abril, os alunos do curso de Administração com ênfase em Gestão para Inovação e Liderança, dos campi de Porto Alegre e São Leopoldo, tiveram a oportunidade de conhecer Eva Sopher. A empreendedora cultural tornou-se conhecida por seu trabalho bem sucedido na a recuperação do Theatro São Pedro, um dos marcos mais importantes de Porto Alegre, após um longo período de decadência. 

[TEXTO ALTERNATIVO DA IMAGEM

Eva Sopher é alemã, nascida em Frankfurt, emigrou para o Brasil fugindo do nazismo, é casada com Wolfgang Klaus Sopher, também refugiado, que mudou-se para São Paulo, onde tiveram duas filhas. Mesmo tendo origem alemã ela adotou o Brasil como o seu país e fez uma grande contribuição no âmbito cultural. Eva sempre apreciou a arte e iniciou cedo suas atividades ligadas ao meio artístico. Ela trabalhou durante alguns anos à frente da Pro Arte, procurou aproximar os artistas brasileiros e estrangeiros, facilitou o acesso de espetáculos aos jovens e qualificou os instrumentos musicais a serem colocados à disposição dos artistas visitantes.  

Em 1973 o Theatro São Pedro foi fechado devido às precárias condições de segurança e mau estado de conservação. E logo após, Eva Sopher foi procurada para assumir a coordenação das obras de recuperação do teatro. Em 1982 o teatro transformou-se em fundação, o que possibilitou a arrecadação de verba de empresas privadas para o desenvolvimento das obras e finalização do projeto. Devido ao excelente trabalho de dona Eva em 1984, Porto Alegre celebrou com grande festa a reabertura do Theatro São Pedro com a presença de célebres artistas, políticos, jornalistas e diversas personalidades ligadas à cultura brasileira.

Dona Eva recebeu os alunos da Unisinos calorosamente. Uma mulher simpática, de sorriso aberto e à flor do rosto. Grande profissional, muito responsável, ela coloca a ética acima de tudo e cobra de todos ao seu redor para que façam um bom trabalho e cumpram os prazos. 

Muito atenciosa, ela mostrou aos alunos cada parte do Theatro São Pedro enquanto ia contando sua história e sua labuta para que este fosse preservado e totalmente restaurado. Relatou aos alunos que quando lhe pediram para assumir a coordenação de restauração do teatro, a seguinte condição lhe foi imposta: “Você deve coordenar a recuperação do Theatro São Pedro, ou ele será derrubado.” Diante desta situação, dona Eva não pensou duas vezes e aceitou o cargo. Obstinada, ela enfrentou tudo e todos. Buscou cada tostão e refez o velho prédio de 1858 com a ajuda de centenas de operários e o refez com maestria. Fundou até mesmo o Multipalco, que juntamente com o Theatro São Pedro é hoje considerado o maior complexo cultural da América Latina. 

No término das explicações e visitas pelos diferentes segmentos do teatro, dona Eva ainda se dispôs a tirar fotografias com os alunos e professores, para que estes pudessem deixar registrado em fotografia um momento único de aprendizado. Graças a personalidade determinada de Eva Sopher, sua sensibilidade estética e detalhista, o Theatro São Pedro tornou-se tudo o que é hoje.

Dona Eva busca ser útil para a sociedade e fez um uma grande contribuição para aproximação de diferentes culturas e nações. Ela diz que independentemente da idade não somos velhos enquanto fizermos algo em que acreditamos e gostamos. 

Inúmeras vezes desistimos de nossas batalhas diárias após uma queda. Depois de errar, costumamos nos fechar para novas experiências ou passamos a acreditar que somos fracassados. Precisamos aprender a aprender...

Sócrates foi um grande mestre do aprendizado e nos ensinou que somente começaremos a aprender quando tomarmos consciência de que somos ignorantes e de que precisamos estar abertos ao novo. Devemos estar preparados para quebrar paradigmas. De nós depende despertar o conhecimento que está em nossa alma. É preciso autoconhecimento e garra.

Certamente o dia 26 de abril de 2015 será lembrado por todos os alunos e professores com carinho. Dele foi possível extrair uma riqueza de aprendizado de uma pessoa que como poucas, fez de sua própria vida e ações um exemplo a ser seguido.