Uma nova proposta de graduação

Cursos especiais da Unisinos conectam os estudantes com a inovação

CÂNDIDA PORTOLAN
12 de Setembro de 2014 - 19:26 | Atualizado: 12 de Setembro de 2014 - 19:32

“Lucy tinha um coração partido em 27 pedaços”, contava o filme produzido pela turma de Realização Áudio Visual (CRAV), e projetado para as dezenas de alunos do Ensino Médio que lotaram uma das salas da Galeria Cultural da Biblioteca, para saber mais sobre o curso e o profissional da área. Essa cena, repleta de olhares e ouvidos curiosos, se repetiu inúmeras vezes ontem, 11 de setembro, pelo campus de São Leopoldo, durante o Unisinos Conecta. O evento ofereceu mais de 50 oficinas que incluíram os cursos da Nova Graduação: CRAV, Gestão para Inovação e Liderança (GIL), Relações Internacionais (RI), Comunicação Digital (Comdig) e Design.

[Unisinos Conecta mostrou novas graduações aos estudantes

Profissionalismo, criatividade e empreendedorismo

“Cinema é turma, Realização Audiovisual é turma. Ao final do curso, temos um grupo formado por profissionais das diferentes especialidades, capazes de tocar qualquer projeto da área”, afirmou Milton do Prado, coordenador do curso de Realização Audiovisual da Unisinos. Ele explicou que a graduação é composta por atividades interdisciplinares, que aliam a teoria à prática, visando a formação completa do profissional, “o mercado de trabalho está aberto para quem é criativo e tem disposição para se dedicar a novas ideias”, concluiu. 

Os estudantes inclinados para a área de Design contaram com a oficina “Processo criativo, Design e Inovação”, ministrada pelo professor André Marques. Através de exemplos de marcas, projetos e mesmo de objetos como utensílios domésticos, os oficineiros refletiram a utilidade e eficiência de investidas na área e a importância do designer nos mais diferentes segmentos, como estrategista.

As marcas também apareceram na oficina “Como as marcas se tornam ícones?”, que provocou os estudantes a pensarem as estratégias utilizadas pelas marcas para se consolidarem e serem reconhecidas nos mais diferentes lugares do mundo. “Pensar diferente é fazer a diferença”, ressaltou uma das participantes. O professor Rodrigo Castilhos, do GIL, que conduziu o momento completou, “ser contracorrente, mesmo dentro de um mundo quadradão, é uma das formas de tornar a marca da empresa conhecida e respeitada no mercado, além de poder se tornar ícone do produto ou serviço que presta ou oferece”.

Estratégia, de fato, foi uma das palavras mais presentes nas oficinas. O que dizer sobre a atuação de um profissional que precisa estar atento a tudo que acontece no mundo? Quem optou pela atividade do curso de Relações Internacionais pôde experimentar a atuação de um RI através de uma atividade simulada, orientada por alunos do curso, Juliana da Silva Serra, Luiza Vieira da Cunha, Larissa Migotto, Artur Naiditch e Augusto Colório. Na simulação, os oficineiros foram divididos em grupos para debaterem estratégias de atuação enquanto setor privado, governo e sociedade, acerca do comércio ou não de Bombas Cluster, fabricadas no Brasil. “Usamos um exemplo real, de uma empresa real, que enfrenta esses mesmos desafios. Para solucioná-los, são necessários profissionais qualificados no âmbito de demandas internacionais”, detalhou Larissa. 

No processo estratégico de resolução de problemas, a criatividade deve estar sempre acompanhada da responsabilidade. Seja no mundo físico ou virtual. A oficina “Você é o que você compartilha”, desenvolvida pelo professor Hélio Paz, da Comdig, debateu as relações entre as pessoas e a tecnologia. “As pessoas precisam se comunicar e as tecnologias fazem parte desse processo. Para tanto, é necessário que alguém reflita, arquitete e construa interfaces para as mais diferentes plataformas ou dispositivos, através das quais interagem e se relacionam”, falou o professor, ressaltando a relevância do comunicador digital na atualidade. Segundo o professor, as tecnologias surgiram para facilitar o cotidiano da humanidade, mas existem conflitos sobre o assunto que merecem ser refletidos, como por exemplo, a maneira como os indivíduos agem nas redes socais, as questões da segurança da informação e da privacidade. “As redes sociais existem desde que existe a humanidade e se formaram os núcleos familiares. A rede não é formada pelos computadores. Eles somente promovem a ligação entre as pessoas”, afirmou.

Game Conecta

Entre as atrações do vento, também esteve o Game Conecta, que ficará no ar até o dia 17 de outubro. O competidor que conseguir reunir as peças necessárias ao final do jogo e somar o maior número de pontos e experiências, ganhará uma viagem com tudo pago ao Snowland, em Gramado.

Fique atento!

O vestibular de verão já tem data prevista: 22 de novembro. As inscrições estarão abertas a partir do dia 16 de outubro.