São Leopoldo oficializa criação de curso de Medicina

Edital para universidades será lançado até o final de setembro

DA REDAÇÃO
26 de Setembro de 2014 - 14:12 | Atualizado: 26 de Setembro de 2014 - 14:35

Na sexta-feira, 26 de setembro, às 15h, o prefeito Anibal Moacir e Heider Aurélio Pinto, secretário de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, do Ministério da Educação, assinam o termo de compromisso que autoriza o funcionamento do curso de Medicina em São Leopoldo. Ao todo, 39 cidades foram selecionadas, sendo quatro no Rio Grande do Sul – além de São Leopoldo, foram habilitados Novo Hamburgo, Ijuí e Erechim. O evento será na sala de reuniões do gabinete do prefeito, no 7º andar do Centro Administrativo (Avenida Dom João Becker, 754).

Com a assinatura do termo de compromisso, a Prefeitura de São Leopoldo se compromete a manter a estrutura necessária na rede pública de saúde e fazer as adequações recomendadas para habilitação da faculdade. A próxima etapa para a implantação dos cursos de medicina nas cidades selecionadas é o lançamento do edital, que deve ser publicado ainda em setembro, para apresentação das propostas das instituições privadas de educação superior interessadas.

Durante o processo de seleção, o município foi visitado por uma comissão de especialistas. Entre os critérios avaliados, esteva a quantidade de pelo menos cinco leitos no Sistema Único de Saúde disponíveis por aluno e unidade hospitalar com potencial para hospital de ensino. Para escolher as localidades, o governo federal também considerou a necessidade do curso, a organização da rede de saúde para desempenhar as atividades práticas e a capacidade para criação da residência médica.As cidades autorizadas precisam ter mais de 70 mil habitantes, não possuir faculdade de medicina e não ser capital de Estado.

Segundo a professora Nêmora Barcellos, uma das responsáveis pelo projeto do curso na Unisinos, a assinatura consolida mais um passo na busca da universidade pela nova oferta de graduação. “Nesse momento, a instituição reafirma seus interesses e expectativas em relação à Medicina e se prepara para a próxima etapa, que é a submissão ao edital”, conclui.

Mais Médicos

As oportunidades de graduação em medicina que estão sendo criadas fazem parte das ações estruturantes do Programa Mais Médicos. As medidas relativas à expansão e reestruturação da formação médica no país preveem a criação, até 2017, de 11,5 mil novas vagas de graduação em medicina e 12,4 mil de residência médica, com o foco na valorização da Atenção Básica e outras áreas prioritárias para o SUS. A abertura de novos cursos e vagas de graduação leva em conta a necessidade da população e a infraestrutura dos serviços – com isso, mais faculdades surgirão em localidades com escassez de profissionais e em cidades do interior de todas as regiões brasileiras.