Sala de Aula Invertida

Encontro reúne professores das áreas de química, física, matemática e estatística

MATHEUS N. VARGAS

No último sábado, 16/5, ocorreu, por videoconferência, o primeiro de três encontros da capacitação de professores para utilizar a metodologia de Sala de Aula Invertida. A capacitação é uma das ações do projeto PIM-Unisinos, que faz parte do Programa de Modernização do Ensino de Graduação (PMG) em Engenharia.

Crédito: Divulgação

A Sala de Aula Invertida é uma metodologia em que o conteúdo e as instruções sobre um determinado assunto curricular não são transmitidos pelo professor em sala de aula. Nesse método, o aluno estuda o material antes de frequentar a sala de aula, que passa a ser o lugar de aprender ativamente, realizando atividades de resolução de problemas, projetos, discussões ou laboratórios, com o apoio do professor e colaborativamente dos colegas.

Uma das ministrantes da capacitação, a professora Tatiana Rocha, explica que a importância de desenvolver o protagonismo estudantil e reconfigurar o espaço da sala de aula, como o momento em que estudantes e professores aprendem ativamente. “Alunos podem estudar em seu ritmo, desenvolvendo a autonomia também. Em especial nesse momento em que estamos trabalhando de forma remota, utilizar o tempo de interação que temos com os alunos para guiá-los no seu aprendizado é essencial”.

A capacitação foi ministrada também pelas professoras Amanda Kieling, Cristiane Schnack e Cristina Gibk. O diretor da Unidade Acadêmica de Graduação, Pe. Sérgio Mariucci, o decano da Escola Politécnica, Sandro Rigo e o coordenador do Projeto, Gustavo Borba, também participaram do encontro.