Festival de Matemática da Unisinos

Evento reuniu estudantes do Ensino Fundamental e Médio de escolas públicas da região

MICHELLI MACHADO

Nessa quarta-feira, 31/10, cerca de mil estudantes do Ensino Fundamental e Médio de escolas públicas da região, participaram do Festival de Matemática da Unisinos. O evento iniciou pela manhã e seguiu até a noite. As atividades ocorreram na Claraboia da Biblioteca, nas salas de aula do Centro Comunitário e no Auditório Bruno Hammes.

[Festival de Matemática Crédito: Rodrigo W. Blum

“Questões lúdicas, que tenham relação com a matemática, são desenvolvidas por nossos alunos do curso de Matemática. As diversas atividades que fazem parte do festival foram criadas pelos estudantes nas horas de prática, em várias disciplinas do curso”, explicou a coordenadora do evento Rosane Woff.

Para a professora, o grande objetivo do festival é despertar o interesse pelo tema. “Queremos desenvolver nos estudantes o gosto pela matemática”, afirmou.

[Festival de Matemática Crédito: Rodrigo W. Blum

Entre os palestrantes, o evento contou com a presença do professor Antônio Amaral, que deu o exemplo do trabalho realizado na sua cidade para inspirar os jovens. “Participar de eventos na área da matemática é importante, assim como fazer parte de monitorias. Atitudes como essas, fizeram da nossa escola uma referência em matemática para todo o país”, declarou.

Amaral leciona matemática em uma escola pública de Ensino Médio na cidade de Cocal dos Alves, no interior do Piauí. O município tem baixo IDEB, mas a escola tem ótimo desempenho nas olimpíadas de matemática e nas provas do ENEM. O professor dá dicas de como despertar o interesse dos alunos pela disciplina.

[Festival de Matemática Crédito: Rodrigo W. Blum

“É importante deixar cair por terra a ideia de que para ir bem em matemática é preciso ser talentoso. O que é necessário é estudar e ser persiste. Em Cocal dos Alves, as bolsas oferecidas aos medalhistas inspiram os alunos a estudar cada vez mais”, relatou o professor.

[Festival de Matemática Crédito: Rodrigo W. Blum

Para Amaral, participar das competições faz com que, automaticamente, os alunos estudem mais a matemática. “Nosso método de ensino busca aproximar os estudantes da área. Procuramos dar sentido no que a pessoa estuda para valorizar cada descoberta. O objetivo é ressaltar o processo, como por exemplo, fazer com que o aluno entenda como a fórmula foi descoberta e não dar tudo pronto”, finalizou.