Dia Nacional da Imprensa Brasileira

Curso de Jornalismo da Unisinos promove ações para lembrar a data

DIVULGAÇÃO

Em referência ao Dia Nacional da Imprensa Brasileira, comemorado em 1º de junho, o curso de Jornalismo da Unisinos está veiculando uma série de trabalhos dos alunos da disciplina de Jornalismo e História do Brasil. Os textos estão sendo disponibilizados no portal da Beta Redação, espaço acadêmico de aproximação às práticas profissionais. Em paralelo, a Agência Experimental de Comunicação (Agexcom) expõe, no saguão do prédio da Escola da Indústria Criativa, em São Leopoldo, um painel reproduzindo títulos de publicações e põe em circulação vídeos nas redes sociais, de chamamento à data e aos conteúdos dos estudantes.

Os textos, produzidos como atribuição final da disciplina, unem o estudo do Jornalismo e da História do Brasil, abordando tanto o desenvolvimento da imprensa quanto o de temas específicos que estejam inseridos entre esses dois campos científicos. Na aba Jornalismo e História, do portal, já constam trabalhos sobre o jornalista José do Patrocínio (1853/1905) e sua luta pela abolição da escravatura, de Bábiton Leão; sobre o jornal O Povo, protagonista da Revolução Farroupilha, de Bruna Bertoldi; e de como o Cinema vem retratando o Jornalismo ao longo do tempo, de Caren Rodrigues.

Os demais trabalhos acadêmicos serão publicados na sequência. Entre eles, o da aluna Tainah Gil Camargo, que trata exatamente do Dia Nacional da Imprensa e revela o empenho do jornalista Raul Quevedo (1926/2009) e da Associação Riograndense de Imprensa (ARI) pela fixação de 1º de junho como data oficial. É que, nesse dia, em 1808, surgiu o Correio Braziliense, primeiro jornal brasileiro, fundado pelo gaúcho Hipólito José da Costa (1774/1823) e publicado em Londres porque Portugal impedia que o Brasil, como sua colônia, tivesse máquinas de impressão.

Vigente desde o ano 2000, a partir de projeto de lei sancionado pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso, a data oficial da imprensa brasileira substituiu a de 10 de setembro – que aludia à Gazeta do Rio de Janeiro, jornal também fundado em 1808, mas meses depois do Correio, como boletim oficial do reino que, então, havia se transferido para o Brasil.