Como usar as redes sociais para fazer marketing?

Temática foi abordada em palestra no 15º Colóquio de Moda

MICHELLI MACHADO

Você já pensou em usar suas redes sociais para fazer negócios? Você já faz isso! Mas será que faz da maneira certa? Sabe qual a melhor plataforma para falar com cada público? Que cuidados são necessários? Essas e outras questões foram abordadas pelo professor de Marketing da ESPM e professor convidado do MBA em Marketing Estratégico da Unisinos, João Finamor, na palestra intitulada ‘O uso das redes sociais para o mercado da moda: da inspiração à venda’, que fez parte da programação de atividades do 15º Colóquio de Moda.

Como tudo começou

Em sua apresentação, Finamor começou diferenciando os conceitos de ‘Rede Social’ e ‘Mídia Social’. “Rede Social é um conceito muito mais amplo, que se refere a todas as relações sociais, já ‘Mídia Social’ são as plataformas digitais”, afirmou.

O palestrante mostrou uma linha do tempo da evolução digital, desde o telégrafo, o rádio e o telefone, até os dias de hoje. “O ICQ foi o primeiro sistema de mensagem instantânea”, lembrou. “O Blogger surgiu como uma democratização de conteúdos e ideias, que podiam ser produzidos e espalhados em rede”, destacou.

[Colóquiio de Moda redes sociais Crédito: Rodrigo W. Blum

O professor ainda deu dicas de como cada plataforma funciona e qual a rede social ‘queridinha’ de cada público. “Em 2005 surgiu o Youtube, rede favorita da geração Z, que tende a crescer e cada vez ganhar mais força”, enfatizou.

Finamor destacou o Twitter como o melhor canal de informação, quando falamos em redes sociais. “O Twitter é a mídia que estoura a nossa ‘bolha’ e, segundo dados, é mais usada por homens. Quem não tem, faça um”, aconselhou.

Sobre outras redes, o palestrante destacou: “O Pinterest é um espaço bem importante para quem trabalha com moda. O Tiktok deve ser usado por quem quer atingir o público entre 10 e 14 anos e entender o comportamento de consumo deles”.

A grande virada

A mudança de cultura no uso de mídias sociais aconteceu em 2008, com o uso de celular como ferramenta. “Até 2008, tudo o que a gente produzia era na frente de um computador, com a chegada do iphone e, em seguida dos smartphones, veio a mobilidade, a horizontalização dos conteúdos”, lembrou.

[Colóquiio de Moda redes sociais Crédito: Rodrigo W. Blum

Para o professor, quem quer usar as plataformas digitais para fazer marketing, precisa estar atento a duas perguntas: Que história quero contar? Para quem eu vou contar? “Se eu for falar de reprodução humana, por exemplo, e tiver três públicos: crianças de cinco anos, mulheres do Oriente Médio e especialistas em genoma, para cada grupo devo contar uma história diferente”, reforçou.

Finamor acredita que é essencial para ter sucesso nas redes sociais tentar se aproximar do público-alvo, criar uma conexão. “Não devemos fazer discursos genéricos. Quem fala para todo mundo, não fala para ninguém”, ressaltou.

É preciso conectar

Identificação, conexão e engajamento são palavras-chave para quem usa as redes sociais. De acordo com o pesquisador, é preciso estar atento ao público, quem segue, quem comenta e quem já está fidelizado à marca.

[Colóquiio de Moda redes sociais Crédito: Rodrigo W. Blum

“A gente muda as coisas que a gente ama. Vocês já amaram uma marca e hoje não amam mais. Por isso, é preciso pensar onde está o meu cliente? Nem sempre o meu cliente está na mídia social que eu prefiro, mas preciso saber que ele é o meu foco”, afirmou.

O palestrante destacou também a importância de um bom planejamento. “Sou usuário? Entendo a linguagem? O quanto aquela plataforma é importante? É preciso lembrar que a gente se comporta de uma forma diferente em cada mídia social”, reforçou.

Defina objetivos

Promover identificação, criar desejo, fidelizar e estimular a interação são alguns dos muitos objetivos que uma postagem pode ter. Segundo o professor, o caminho para o sucesso é ter conhecimento, criatividade, estratégia e sorte

[Colóquiio de Moda redes sociais Crédito: Rodrigo W. Blum

“As métricas estão aí para ajudar e nos permitem ver o que as pessoas estão buscando e o que está dando certo. Nos indicam o melhor dia, horário e conteúdo para postar. Precisamos gastar mais tempo pensado do que postando”, sugeriu.

Marketing de Moda

Em 2010 chegou o Instagram, uma mídia que para Finamor é muito importante para o marketing de Moda, pois oferece cinco canais de contato com o cliente, entre eles feed que é uma revista, os stories que são a novelinha e o direct que é o bate-papo. “São muitos recursos de relacionamento da marca com as pessoas, os stories têm mais visualizações que o feed e permitem mais interação. Está com dúvida, pergunte. Pode ser que cor é melhor para uma blusa, o importante é saber o que o público está pensando”, enfatizou.

O Pinterest é outra plataforma que, segundo o professor, deve ser observada por quem trabalha com Moda. “É um espaço para inspirar e gerar tráfego para o site da marca ou para outra mídia social como o Instagram. É uma rede de busca, que não precisa ser alimentada diariamente, mas deve funcionar como um espaço de conteúdo que responda perguntas e ajude as pessoas. É um local para gerar ‘iscas’ para levar os clientes para outras redes”, explicou.

[Colóquiio de Moda redes sociais Crédito: Rodrigo W. Blum

De acordo com o palestrante, no Instagram, o que mais engaja são fotos de pessoas sorrindo, em lugares conhecidos e com tons de azul. Já no Pinterest, as fotos devem aparecer sem mostrar o rosto e com cores contrastantes, para conquistar mais engajamento do público.

Finamor encerrou sua apresentação com o que chamou de ‘dica de ouro’. “Vocês conhecem o lema do ovo?”, questionou. “Entre um garnizé, uma galinha e um avestruz, o menor ovo é do garnizé, mas é quem mais comemora. Ou seja, produzam algo simples, mas divulguem, valorizem o próprio conteúdo”, finalizou.