Professora da Escola de Saúde recebe prêmio

Priscila Lora ganhou a premiação Luís Poli de Figueiredo na categoria de melhor trabalho clínico

DIVULGAÇÃO

Nos dias 9 e 10 de maio, ocorreu o XVI Fórum Internacional de Sepse, no Rio de Janeiro. O evento foi realizado pelo Instituto Ibero-americano de Sepse, em parceria com o Internacional Sepsis Forum – ISF.

Na ocasião, a pesquisa ‘Prevalence of Sepsis Risk by Qsofa Score in Prehospital Setting’, realizada em parceria entre os Programas de Pós-Graduação em Enfermagem, Nutrição e Alimentos e Computação Aplicada, e coordenada pela professora Priscila Lora, recebeu a premiação ‘Luís Poli de Figueiredo’, na categoria de melhor trabalho clínico.

“A sepse é uma resposta patológica sistêmica a uma infecção associada a disfunção de órgãos. Estima-se 751 mil casos ao ano, nos Estados Unidos, e no Brasil a doença apresenta 55,7% de mortalidade. Em 2002, a Surviving Sepse Campaing (SSC), uma organização liderada pela Society of Critical Care Medicine e pela European Society of Intensive Care Medicine, lançou uma campanha para reduzir a mortalidade da sepse que é estruturada em sete pilares, e dentre esses está a melhora do diagnóstico e reconhecimento precoce da doença”, declarou a pesquisadora.