Cultura Pop, Comunicação e Tecnologias

O grupo de pesquisa se dedica à pesquisa sobre o papel da cultura pop e suas consequências

LAURA HAHNER NIENOW

Compartilhe esta página

Cultura Pop, Comunicação e Tecnologias são o foco de pesquisa do CULTPOP. O grupo busca a reflexão, a crítica e a elaboração de propostas que pensem a cultura pop e digital no âmbito de suas práticas e processos de sociabilidade.

O grupo se dedica à pesquisa da união entre a cultura pop, a comunicação e as tecnologias, tendo múltiplos suportes teórico-metodológicos para pensar o papel da cultura pop e suas consequências e relações entre performances, materialidades, mídias, culturas urbanas e estéticas.

Com esse objetivo, o grupo desenvolve temáticas como cenas musicais, subculturas, linguagens e produtos midiáticos da cultura pop. A partir das relações com as relações de gênero, classe social e etnias, o CULTPOP pesquisa fãs, consumo e audiência dessas temáticas.

Líder do grupo e Pós-Doutora em Mídia, Cultura e Comunicação pela University of Surrey (UK), Adriana Amaral, caracteriza a cultura pop como transnacional e elemento central das indústrias criativas/culturais. De acordo com Adriana, as articulações entre o mercado do entretenimento, suas audiências e a cultura digital são determinantes na produção, consumo e circulação de bens simbólicos tendo impactos econômicos, políticos, sociais e afetivos na sociedade contemporânea.

[ Meme produzido pelo grupo Crédito: Arquivo Pessoal

Adriana ainda afirma que entender produtos e processos da cultura pop pode nos dar aplicações mercadológicas, assim como nos fornecer subsídios para compreensão de diferentes culturas, alteridades e identidades. “Compreender fenômenos como engajamento de fãs a partir de produtos de mídia como seriados ou representações político-identitárias em franquias ou na música pop, por exemplo, torna-se central em um país como o Brasil e nos dá pistas para analisar as lógicas e práticas de comunicação do cotidiano”, conta.

CULTPOP tem parceria com outros grupos de pesquisa de outras universidades brasileiras, como Universidade Federal Fluminense, em Niterói, e a Universidade Federal de Pernambuco, em Recife. Ainda, o grupo é parceiro de instituições internacionais, como o Proco Research Group da Universität Duisburg-Essen, da Alemanha, a School of Arts, Media and Performance da University of Salford, da Inglaterra e com o KISMIF da Universidade do Porto, de Portugal.

[ Grupo de pesquisa reunido Crédito: Arquivo Pessoal

Os integrantes participam de associações e redes de pesquisa, como a Rede de Pesquisa Nacional de Comunicação e Música, a rede internacional de estudos de fãs, Fan Studies Network, e a Associação dos Pesquisadores de Internet.

Esta semana o grupo recebeu a notícia de que Gabriela Gelain e Giovana Santana Carlos, integrantes do grupo, são finalistas do prêmio COMUNICON 2016. As doutorandas estão concorrendo com o artigo "Fanzine e subcultura punk: produção, consumo e identidade na cena brasileira Márcia Bernardes – Os sentidos construídos sobre o uso do corpo nu feminino em performances ativistas".

Para acompanhar os projetos realizados pelo CULTPOP, acompanhe a página no grupo no facebook.