Unisinos amplia o conceito de graduação e propõe novo significado para a experiência universitária

Viver a universidade, transformar a sociedade e possibilitar uma formação única para cada aluno são premissas da iniciativa

COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL

Compartilhe esta página

Depois de ampliar o campus em Porto Alegre, a Unisinos dará mais um passo dentro de seu planejamento estratégico 2017-2022. A partir de um mapeamento de competências para este século, a Universidade desenvolveu uma plataforma que permitirá ao aluno enriquecer seu currículo de forma ampla e que vá além das Atividades Acadêmicas de seu curso. 

A proposta parte da ideia de que a construção do conhecimento se dá a partir de uma trajetória multifacetada e que cada aluno pode percorrê-la de forma única. O projeto possibilitará que o estudante personalize sua trajetória universitária com cursos de extensão, idiomas, projetos de inovação social e de empreendedorismo nas organizações. O projeto piloto será implementado já no começo do ano que vem.

Ao mesmo tempo em que um estudante de Direito poderá desenvolver competências de empreendedorismo e liderança, seu colega de curso terá a chance de aprimorar competências voltadas para inteligência cultural e de gestão de projetos. Ao final da graduação, os dois receberão o mesmo diploma, mas seu histórico complementar revelará a diferença de perfil entre os profissionais.

[ Divulgação do novo Unisinos LAB Crédito: Divulgação

 

Como funcionará o projeto

  • Cada aluno construirá seu próprio percurso complementar de formação.
  • As atividades serão distribuídas em turnos alternativos aos das aulas (tarde, vespertino) e na modalidade de ensino a distância.
  • Parte das atividades disponíveis na plataforma serão gratuitas para os alunos matriculados em quaisquer cursos de graduação da Unisinos.

 

Conheça as 10 competências para o século 21 mapeadas pela Unisinos. Elas vão guiar a lista de cursos e atividades disponíveis para a personalização da trajetória acadêmica de cada estudante: 

  • responsabilidade socioambiental;
  • cultura ético-estética;
  • senso crítico-reflexivo;
  • resolução de problemas e pensamento computacional;
  • atitude empreendedora e interdisciplinar;
  • comunicação;
  • pensamento projetual e inventivo;
  • interação e colaboração;
  • liderança;
  • autonomia e autogestão do conhecimento.

Dessa forma, a Unisinos propõe uma renovação no modelo de aprendizagem, uma provocação para pensar a formação como uma trajetória que vai além do currículo, pressupondo novas conexões entre os componentes da vida universitária, uma formação flexível e personalizada que se constitui a partir de novas relações entre a sociedade, o campus, a sala de aula, o conhecimento científico, a tecnologia, e, mais especialmente, os atores: alunos, professores e colaboradores internos e externos da instituição.