Primeira residência em saúde mental está com as inscrições abertas

O programa tem foco em práticas humanizadas e interdisciplinares

KARLA OLIVEIRA
22 de Janeiro de 2015 - 14:30 | Atualizado: 23 de Janeiro de 2015 - 11:31

As inscrições para a Residência Integrada Multiprofissional em Saúde Mental da Unisinos, já estão abertas.  O programa é voltado para profissionais das áreas de enfermagem, nutrição, serviço social e psicologia e representa mais um avanço na criação do curso de medicina da universidade.

A residência terá como cenário de atuação as cidades de Porto Alegre e São Leopoldo, na Rede de Serviços do Sistema de Saúde Mãe de Deus e na Rede de Saúde Mental de São Leopoldo. O objetivo do programa é desenvolver ações assistenciais integradas e interdisciplinares, ou seja, unir os diferentes conhecimentos de cada área para o melhor atendimento do paciente. 

[Primeira residência em saúde mental está com as inscrições abertas

O conceito de saúde mental é por muitas vezes associado à doença mental. Mas saúde mental é um termo usado para descrever o nível de qualidade de vida cognitiva ou emocional, segundo a Secretaria da Saúde, indo além da ausência de doenças. Por isso, a residência focará em desenvolver um atendimento mais humanizado, que compreenda os limites de cada um, dando a possibilidade de enfrentamento dos problemas de saúde individuais e coletivos contemporâneos. 

Como destaca a coordenadora do programa em de São Leopoldo, Vilene Moehlecke, a residência é uma forma de aproximar o conhecimento acadêmico da realidade, qualificando o aluno e auxiliando na evolução da saúde pública. “O programa é uma oportunidade significativa para os alunos, já que eles podem interferir e ajudar na realidade”, completa. A ideia é que as ações de assistência sejam pautadas no acolhimento, na integralidade, na ética e na segurança de cada paciente, já que a saúde mental de uma pessoa está diretamente relacionada à forma como ela reage aos desafios e conflitos da vida. Assim, o aluno poderá beneficiar os locais em que estará atuando e se profissionalizar. 

Consequentemente, a residência dará ênfase a projetos que auxiliem populações em maior risco de saúde mental como o Plano Crack, é Possível Vencer; Pacto Nacional pelo Enfrentamento à Violência Contra a Mulher; Política Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres; Lei Maria da Penha; e políticas de proteção a crianças e adolescente vítimas de exploração infantil, todos no contexto do Sistema Único de Saúde (SUS). O processo seletivo para participar da residência será feito através de duas etapas. A primeira consiste na inscrição e a segunda, na seleção que será feita por meio de uma prova teórico-objetiva, seguida de uma entrevista individual.

 A formação profissional em saúde mental especializada é parte estratégica do fortalecimento do sistema de saúde, criada pela Lei Federal nº 11.129, de 30 de junho de 2005. Para fazer as inscrições, acesse o site da Unisinos. O edital do programa está disponível para mais informações. A inscrição no site poderá ser feita até o dia 13 de fevereiro.