Novas tecnologias e o futuro da saúde

DA REDAÇÃO
20 de Outubro de 2015 - 16:50 | Atualizado: 11 de Novembro de 2015 - 17:08

A Organização das Nações Unidas projeta que, em 2050, quase um quarto da população mundial estará com 60 anos (atualmente são 12%). Consequentemente, a quantidade de pessoas doentes aumentará, porque as demências, o câncer e outras doenças degenerativas tendem a aparecer com maior incidência nessa fase da vida. A área da saúde está correndo atrás de soluções para que não se viva apenas mais, mas também melhor.

[Novas tecnologias e o futuro da saúde

“Quatro grandes fatores interferem na qualidade de saúde: o estilo de vida, a carga biológica, os fatores ambientais e o acesso a serviços de saúde. Estilo de vida tem um impacto de 53% nessa conta”, explica Mauro Félix, professor da Especialização em Gerontologia Interventiva da Unisinos. Ele observa também que o uso da tecnologia como estratégia de planejamento em saúde é um elemento fundamental para o futuro. “Exemplo disso é o mapeamento genético do paciente, que permitiria uma abordagem mais personalizada e mais clara”, destaca. 

Serão necessários profissionais qualificados para tornar isso realidade. A Unisinos oferece diversos cursos de especialização na área da saúde, cujas inscrições estão abertas. Confira as ofertas em: unisinos.br/especializacao. Inscreva-se até 8/1/16, matricule-se até 30/1/2016 e receba desconto na primeira parcela do curso.