Biotecnologia e Nutracêuticos em foco no itt Nutrifor

Especializações estão com inscrições abertas até 31 de julho

CAROLINA SCHAEFER

Os alimentos e os hábitos alimentares são os mais importantes fatores não genéticos que contribuem para a longevidade humana. Algumas substâncias consumidas possuem compostos bioativos que podem ajudar na prevenção de doenças e são comercializadas de forma farmacêutica como em cápsulas, por exemplo. Também é possível apontar a apropriação da tecnologia em processos biotecnológicos e seu controle para a produção de alimentos saudáveis como outra alternativa de atuação na área da saúde e nutrição.

Com o objetivo de especializar profissionais de Farmácia, Engenharia de Alimentos, Biomedicina, Gastronomia, Biologia, Nutrição, Medicina e áreas afins, que buscam aprofundar seus conhecimentos sobre as bases científicas relacionadas a alimentos e bebidas, a Unisinos oferece duas especializações com essa temática.

Biotecnologia de Alimentos e Bebidas e Nutracêuticos e Alimentos Funcionais estão com as inscrições abertas, estendendo-se até 31 de julho. As duas especializações contarão com aulas no Instituto Tecnológico da Unisinos - itt Nutrifor. As atividades de laboratório são imprescindíveis para a consolidação do aprendizado e contribuem para o desenvolvimento da atitude investigativa aliada à prática transformadora. As aulas iniciam em setembro.

Produzindo alimentos e bebidas mais saudáveis

Segundo Juliano Garavaglia, coordenador da especialização em Biotecnologia de Alimentos e Bebidas, a biotecnologia é a ciência que faz uso de organismos vivos ou parte deles para a produção de bens e serviços. “No caso específico da área da Saúde, a biotecnologia pode ser aplicada na produção de alimentos mais seguros e nutritivos, desenvolvimento de vacinas e medicamentos mais eficazes, produção de enzimas peptídeos bioativos, bem como bebidas fermentadas (vinho, cerveja, saquê, entre outras)”, explica.

[ Laboritorista realizando testes em equipamento de laboratorio. Crédito: Rodrigo W. Blum

A especialização tem seu enfoque na apropriação da tecnologia dos processos biotecnológicos e seu controle para a produção de alimentos saudáveis. Além disso, serão abordados temas atuais relacionados com a produção de bebidas complexas e os processos fermentativos com efeito nutricional e funcional. “O curso será ministrado por professores altamente capacitados e com formação nas áreas de desenvolvimento, enfatizando o caráter inovador da especialização e sua relação com o mercado”, comenta Garavaglia.

O coordenador enfatiza que com o curso, o aluno poderá conceituar os aspectos fundamentais da área, relacionando-os com as ferramentas biotecnológicas aplicadas na produção de alimentos da atualidade. Do mesmo modo, será capaz de controlar um processo fermentativo, identificando quais substratos e nutrientes são necessários, os microrganismos, bem como, os coprodutos oriundos da fermentação. Além de selecionar microrganismos de interesse para indústria de alimentos, utilizando a Biotecnologia como forma de inovação e negócios.

O papel dos alimentos na prevenção de doenças crônicas

Para Juliana de Castilhos, coordenadora da especialização em Nutracêuticos e Alimentos Funcionais, a evolução da ciência da nutrição permitiu saber mais sobre a ação dos nutrientes no organismo. “Os compostos bioativos apresentam mecanismo de ação definido, provocando alterações no sistema biológico e, consequentemente, auxiliando na prevenção e no tratamento de distúrbios orgânicos. Desta forma, os nutracêuticos têm recebido um interesse considerável devido aos seus potenciais efeitos nutricionais e terapêuticos”, ressalta.

Ela fala que pesquisas de mercado mostram o aumento da demanda dos consumidores por produtos que melhorem a saúde, contendo compostos bioativos presentes nos alimentos (Brasil Food Trends 2020). “A ciência sobre os efeitos benéficos desses princípios ativos, na forma de nutracêuticos, indubitavelmente gera um impacto na terapia nutricional”, observa.

[ Laboritorista realizando testes com alimentos. Crédito: Rodrigo W. Blum

“O aluno que realizar o curso vai ter uma compreensão abrangente da definição de nutracêuticos e alimentos funcionais e vai estar preparado para compreender o papel dos nutracêuticos e dos alimentos funcionais na promoção da saúde e na prevenção e tratamento das doenças crônicas para atuar de forma consciente, segura e com embasamento científico na prescrição de nutracêuticos e alimentos funcionais na prática clínica”, pontua a coordenadora.

A especialização em Nutracêuticos e Alimentos Funcionais está vinculada ao Instituto Tecnológico em Alimentos para a Saúde - itt Nutrifor. Nos módulos IV e V, serão propostas atividades práticas nos laboratórios do Instituto. “As atividades de laboratório são indispensáveis para a consolidação do aprendizado, aliando a teoria com a prática. As orientações e/ou supervisões utilizarão metodologias adequadas para integrar teoria e prática conforme a proposta da especialização”, finaliza Juliana.