Mestrado e Doutorado em Comunicação

Grupos de Pesquisa

O PPG em Ciências da Comunicação possui os seguintes grupos de pesquisa:

    • CULTPOP - Cultura Pop, Comunicação e Tecnologias

      O grupo CULTPOP - Grupo de Pesquisa em Cultura Pop, Comunicação e Tecnologias dedica-se à pesquisa na intersecção entre a cultura pop, a comunicação e as tecnologias tendo múltiplos aportes teórico-metodológicos para pensar o papel da cultura pop no contemporâneo e suas inferências e relações entre performances, materialidades, mídias, culturas urbanas e estéticas.

      Os enfoques do grupo de pesquisa tem como finalidade a reflexão, a crítica e a elaboração de propostas que pensem a cultura digital e a cultura pop no âmbito de suas práticas e processos de sociabilidade. Dentro desse escopo nossas investigações privilegiam temáticas como a das cenas musicais, subculturas, linguagens e produtos midiáticos da cultura pop, seu consumo e suas audiências a partir das relações com as subjetividades, relações de gênero, classe social, etnias e outras intersecções no âmbito das micro-políticas e resistências cotidianas.

      Líder: Adriana Amaral

    • » Saiba mais sobre o Grupo de Pesquisa
    • » Acesse as redes sociais do Grupo de Pesquisa
    • » Acesse o blog do Grupo de Pesquisa
    •  

      TCAV – Audiovisualidades e Tecnocultura: Comunicação, Memória e Design

      O diretório volta-se paras as tendências comunicacionais, memoriais, projetuais e experimentais do audiovisual, inscrevendo-o em um campo heterogêneo de formatos, suportes e tecnologias que atravessam e transcendem as mídias, por convergência e dispersão. As pesquisas autenticam e analisam audiovisuais em contextos midiáticos e em contextos não reconhecidamente midiáticos ou audiovisuais; reconhecem a historicidade e especificidade do cinema, da televisão, do vídeo e das mídias digitais, e as investigam na perspectiva mais geral de um aparelho e de uma ecologia audiovisual; buscam compreender suas linguagens e configurações nos usos e apropriações praticados pelas mídias e pelos espectadores, entendidos esses, agora, também como protagonistas. Emergentes da cena contemporânea, tais usuários são desafiados e seduzidos a também agirem - até mesmo de forma projetual - em larga escala, como as mídias, na medida em que se disponibilizam a eles mais e melhores ferramentas de realização audiovisual, mais ou menos dissemináveis na rede comunicacional expandida pela Internet. Tais práticas das mídias e dos usuários inscrevem as audiovisualidades como substâncias da cultura, impactada pela importância crescente do design em seu devir.

      Líder: Suzana Kilpp e Gustavo Daudt Fischer

    • » Saiba mais sobre o Grupo de Pesquisa
    • » Acesse as redes sociais do Grupo de Pesquisa
    • » Acesse o site do Grupo de Pesquisa
    •  

      PROCESSOCOM – Processos comunicacionais: epistemologia, midiatização, mediações e recepção

      O grupo de pesquisa Processos comunicacionais: epistemologia, midiatização, mediações e recepção – PROCESSOCOM trabalha na fundamentação, construção e sistematização de investigações cientí­ficas na área das Ciências Sociais Aplicadas, e mais especificamente, em Comunicação. Tem como linha central a formação de pesquisadores numa perspectiva transformadora e explora, em termos metodológicos, uma epistemologia crí­tica que busca articular sabedorias milenares com estratégias inovadoras para a resolução de problemas de relevância social histórica e política.

      Líder: Alberto Efendy Maldonado Gómez de la Torre e Jiani Bonin

    • » Saiba mais sobre o Grupo de Pesquisa
    • » Acesse o site do Grupo de Pesquisa
    •  

      GPJor – Estudos em Jornalismo

      O Grupo de Pesquisa Estudos em Jornalismo (GPJor) busca dar conta de lacunas epistemológicas dos estudos voltados para as práticas jornalísticas. Investiga-se o jornalismo em suas manifestações midiáticas, na escuta dos jornalistas, em suas relações com a sociedade, com o poder e os outros discursos. Desde uma posição desdisciplinar e crítica, o grupo pretende em suas pesquisas avançar conceitual e metodologicamente sobre esta área do conhecimento, ainda carente de olhares próprios.

      Líder: Beatriz Marocco

    • » Saiba mais sobre o Grupo de Pesquisa
    •  

      Midiaticom – Midiatização e Processos Sociais

      Na experiência dos participantes-sênior, encontram-se já diversas atividades de rede, que foram iniciadas no âmbito da linha de pesquisa do PPG, e terão continuidade nas interações abrangentes do Grupo:

      a) Rede CAPES/PROCAD “Crítica Epistemológica” Coordenador Geral: Prof. Jairo Ferreira Instituições participantes: PPG em Comunicação da Unisinos; PPG em Comunicação da Universidade Federal de Goiás; PPG em Comunicação da Universidade Federal de Juiz de Fora. Coordenadores locais, respectivamente: Professores Jairo Ferreira; Luís Signates; e Francisco Paoliello Pimenta.

      b) Rede Latino-Americana de Investigação sobre Midiatização e Processos Sociais - CAPES/ Mincyt Coordenadores: Prof. Antonio Fausto Neto (Unisinos) e Profa. Sandra Valdettaro (Universidade de Rosário, Argentina) Participantes: Antonio Fausto Neto, Pedro Gilberto Gomes, José Luiz Braga, Jairo Ferreira (PPG em Comunicação, Unisinos); e Sandra Valdettaro , Ricardo Diviani, Natalia Raimundo Alselmino, Maria Cecilia Reviglio, Mariana Maestri, Ruben Mielsi (Universidade de Rosário)

      c) Participação na rede de investigação sobre Cultura Digital na Sociedade Latino-Americana organizada pelo Centro de Comunicação Educativa Audiovisual (CEDAL), pela Rede de Informática da Igreja para a América Latina (RIIAL) e pelo Departamento de Comunicação e Imprensa do CELAM. *

      d) Portal Midiatização e Processos Sociais / Editor: Prof. Jairo Ferreira: A meta do portal é promover trocas, rotinas e procedimentos em torno das investigações realizadas por membros, pesquisadores individuais e grupos de pesquisa sobre a Midiatização, proporcionando uma maior interação entres os mesmos. Visa também tornar públicas as atividades dos grupos e redes vinculadas ao Grupo de Pesquisa Midiatização e Processos Sociais, e se constituir em fonte para pesquisas sobre o tema, nacional e internacionalmente. Esse projeto foi financiado pelo CNPq e pela UNISINOS.

      Líder: Antonio Fausto Neto e Pedro Gilberto Gomes

    • » Saiba mais sobre o Grupo de Pesquisa
    • » Acesse o site do Grupo de Pesquisa
    •  

      LIC - Laboratório de Investigação do Ciberacontecimento

      O grupo reúne um conjunto de pesquisas que tratam da produção de acontecimentos no âmbito das redes sociais da internet. Através das pesquisas as transformações do acontecimento no webjornalismo e a produção do acontecimento nas redes sociais: a emergência do ciberacontecimento, chegou-se a um conceito que tem como pressuposto que parte dos acontecimentos que se transformam em acontecimentos jornalísticos na sociedade contemporânea já contem a textura das redes sociais digitais. O conceito de ciberacontecimento articula-se na revisão de teorias sobre o acontecimento, na perspectiva semiótica/sistêmica que tem como foco as processualidades da produção de sentidos nos ambientes culturais e nas questões trazidas pelo universo da cultural digital.

      As pesquisas em andamento pelo grupo projetam mapeamento e monitoramento de processos que se dão nas conexões em rede e que possuem potencialidades como fontes de geração de acontecimentos jornalísticos. Tais processos envolvem uma camada complexa de temas, mas ganham mais intensidade no campo das mobilizações sociais, como nos protestos de ocupação global e nos ocorridos ao longo do mês de junho de 2013 no Brasil, e também no setor de entretenimento. O grupo desenvolve experiências metodológicas que envolvem a utilização de softwares de monitoramento, rastreamento e visualização, e também processos de análises qualitativas com perspectivas semióticas e etnográficas. Há um campo vasto de setores que pode recolher insumos dessas pesquisas, como os movimentos sociais, as organizações políticas, a economia criativa e os processos de produção no jornalismo. Aparecem em destaque: processos transnarrativos e hipermidiáticos que incluem a presença de outros atores; a reverberação instantânea que passa a ser incorporada na própria narrativa, também a constituindo; e a eclosão desses outros modos de acontecimento que se tramam no cenário de conexões sistêmicas altamente complexas.

      Líder: Ronaldo Henn e Maria Clara Aquino Bittencourt

    • » Saiba mais sobre o Grupo de Pesquisa
    • » Acesse as redes sociais do Grupo de Pesquisa

 

» Conheça os Grupos de Pesquisa da Unisinos


»Política de privacidade Unisinos
Jesuítas Brasil Unisinos - Somos infinitas possibilidades