Fique Sabendo

Selecione:
Curso
  • :: Da Escola
  • Análise e Desenvolvimento de Sistemas
  • Arquitetura e Urbanismo
  • Biologia
  • Ciência da Computação
  • Computação Aplicada
  • Engenharia Ambiental
  • Engenharia Cartográfica e de Agrimensura
  • Engenharia Civil
  • Engenharia da Computação
  • Engenharia de Alimentos
  • Engenharia de Controle e Automação
  • Engenharia de Energia
  • Engenharia de Materiais
  • Engenharia de Produção
  • Engenharia de Produção e Sistemas
  • Engenharia Elétrica
  • Engenharia Eletrônica
  • Engenharia Mecânica
  • Engenharia Química
  • Física
  • Geologia
  • Gestão Ambiental
  • Gestão da Produção Industrial
  • Gestão da Tecnologia da Informação
  • itt Performance
  • Jogos Digitais
  • Matemática
  • Segurança da Informação
  • Sistemas de Informação
Nível
Ciclo de Estudos Metrópoles no Campus POA

O 2º Ciclo de Estudos Metrópoles, que trata das Políticas Públicas e tecnologias de governo, promovido pelo Instituto Humanitas Unisinos – IHU, teve início em 20 de agosto e segue até 5 de novembro com ações em São Leopoldo e Porto Alegre. O primeiro evento no campus da Capital ocorreu hoje e trouxe a professora Natacha Silva Araújo Rena, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), para falar sobre experiências colaborativas e o impacto na conjuntura atual.

Natacha é arquiteta e coordenadora do Centro de Extensão da Escola de Arquitetura da UFMG, onde desenvolve diversos projetos voltados para o bem comum e o conceito de multidão. É líder do Grupo de Pesquisa “Indisciplinar” que possui ações focadas na produção contemporânea do espaço urbano considerando os processos de globalização e mundialização. O grupo é formado por professores, pesquisadores, alunos de graduação e pós-graduação oriundos de diversos campos do conhecimento, como Arquitetura, Economia, Geografia, Letras, Direito, Filosofia, Engenharia, Design, Biologia, Sociologia, Antropologia, dentre outros.

Através deste grupo, é lançada uma proposta para entender a multidão através de suas manifestações. O maior exemplo apresentado por Natacha foram as ocupações em Belo Horizonte, oriundas de diversas causas, mas todas com um objetivo comum: garantir o espaço para a comunidade. O grupo atua de maneira integrada com movimentos sociais, ambientais e culturais que produzem uma forte resistência aos processos de urbanização neoliberal, daí as ocupações.

A professora trouxe exemplos de suas ações, onde ilustrou com vídeos e fotos tudo o que já foi feito por alguma causa. Ela destaca a grande importância da comunicação e principalmente do advento das redes sociais para que isso se organize de forma mais ágil e eficaz. Toda ação tem divulgação online forte, para que um grande número de pessoas se engaje pela causa comum.

“Muitas ocupações são marcadas pelo WhasApp, por exemplo. Cada movimento tem sua página no Facebook, onde tudo é divulgado e disseminado através de campanhas bem planejadas. São movimentos pacíficos que unem ações culturais e que conseguem dialogar com o poder público. Ocupações urbanas que lutam pelo direito do povo ao espaço”, destacou Natacha. Ela frisou ainda que a maior luta é contra projetos de privatização.

Na percepção da docente, cada vez mais estão surgindo movimentos insurgentes que vão contra o atual modelo de democracia. São movimentos de “empoderamento”, onde as pessoas sentem que tem voz e que tem poder sobre o seu espaço. “Estes movimentos são de esquerda, em sua maioria, mas recentemente vemos a direita na rua também. Hoje, governos de esquerda são criticados por movimentos da mesma linha política e vice-versa. Cada vez mais as pessoas estão lutando pelo que é seu de direito, pelo bem comum”, destaca a pesquisadora.

Natacha contou que foram as manifestações de julho de 2013 que a incentivaram para que desse início em suas pesquisas na área. “Durante as manifestações eu avisei a Universidade que não iria para a sala de aula. Minha aula era na manifestação e lá eu permaneci até todos saírem das ruas”, disse. Mais uma vez ela citou o grande poder das redes sociais e da internet como um todo nesse tipo de organização, que acabou resultando em coletivos como a Mídia Ninja.

O ciclo de estudos Metrópoles realizará mais duas conferências no campus Porto Alegre. Dia 26 de agosto com um debate sobre Políticas públicas e participação política pós-soberana, e dia 2 de setembro, quando se falará sobre o Diagnóstico socioterritorial através de um mapa falado. Para mais informações e inscrição, acesse o site www.ihu.unisinos.br. Todas as atividades são gratuitas e abertas ao público.

Confira ainda uma entrevista feita com a professora Natacha Silva Araújo Rena, onde ela explica seu trabalho e suas linhas de pesquisa para o Instituto Humanitas através do link http://goo.gl/si72fH

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Deixe um comentário
O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *