VI Simp. Int. Desigualdades, Direitos e Políticas públicas: Gênero, Interseccionalidades e Justiça

Até o dia 30 de outubro: Docentes e pesquisadores: R$ 120,00 Estudantes de pós-graduação: R$ 60,00 Estudantes de graduação: R$ 30,00 Professores da educação básica e ensino médio/ativistas de movimentos sociais: R$ 30,00 Profissionais: R$ 150,00 De 30 de outubro até o dia 29 de novembro: Docentes e pesquisadores: R$ 160,00 Estudantes de pós-graduação: R$ 85,00 Estudantes de graduação: R$ 50,00 Professores da educação básica e ensino médio/ativistas de movimentos sociais: R$ 50,00 Profissionais: R$ 180,00

Inscrições até 26/11/2018

Inscreva-se Agora

Compartilhe esta página

Apresentação

O Simpósio Internacional Desigualdades, Direitos e Políticas Públicas é uma promoção bianual do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Unisinos. Iniciado em 2007, o evento mantém o eixo temático que lhe é central; porém, a cada edição, prioriza uma nova dimensão, ganhando um subtítulo que lhe define a ênfase. Nesta sua 6ª edição, o evento focalizará a temática de gênero, na perspectiva das interseccionalidades e da justiça. O evento é promovido pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Unisinos, em parceria com a Graduação em Ciências Sociais, juntamente com a organização não governamental Themis: Gênero, Justiça e Direitos Humanos, de Porto Alegre/RS, que comemora em 2018 seus 25 anos, e com a Universidade de Cabo Verde, instituição parceira desde 2011.

Quais são os objetivos?

Esta edição do Simpósio visa incrementar e fortalecer a pesquisa colaborativa e em rede, bem como a interlocução com entidades associativas e ativistas neste campo temático de Gênero, Interseccionalidades e Justiça. Assim, espera convergir pesquisa acadêmica de alto nível com contribuições para debates em torno de políticas públicas e direitos.

É destinado a quem?

- docentes e pesquisadores;
- estudantes de pós-graduação;
- estudantes de graduação;
- professores da educação básica e ensino médio;
- promotoras legais populares;
- ativistas de movimentos associativos e gestoras/es ou agentes implicados em políticas públicas.

Distribui certificado?

Para os inscritos que tiverem 75% de frequencia

Carga horária

40 horas

Apoio

Curso de Graduação em Ciências Sociais - Licenciatura - Unisinos
Instituto Humanitas Unisinos (IHU)Themis - Gênero, Justiça e Direitos Humanos
Universidade de Cabo Verde

Promoção

Universidade do Vale do Rio dos Sinos - Unisinos
Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais Unisinos

Programação

27/11/2018 (Terça-feira)

Credenciamento (9h às 18h)

Cerimônia de Abertura (14:30h às 15h)

Roda de Conversa 1 - Ativismos Feministas (15h às 17:30h)
Moderadora: Marília Veríssimo Veronese (Unisinos)

Coffee - Auditório Padre Werner (17:30h - 19h)

Roda de Conversa 2 - Interseccionalidades: do conceito às políticas públicas (19:30h às 22h)
Kimberlé Crenshaw (Professora de Direito da Columbia Law School and the University of California, Los Angeles) Marcia Regina de Lima Silva (Doutora em Sociologia, Professora Doutora do Departamento de Sociologia da Universidade de São Paulo)

Moderadora: Denise Dourado Dora (Themis)

28/11/2018 (Quarta-feira)

Credenciamento (9h às 18h)

Painel 1 (9h - 10:45h) Políticas públicas e igualdade de gênero em perspectiva interseccional
Alinne de Lima Bonetti (Unipampa)
Vera Rodrigues (Unilab)
Moderadora: Laura López (Unisinos)

Painel 2 (10:45h - 12:30h) Gênero, trabalho e políticas sociais
Jacqueline Britto Pólvora (Unilab)
Creuza Oliveira (Fenatrad - Federação Nacional das Trabalhadoras Domésticas)
Moderadora: Andréa Nocchi (Themis)

Almoço (12:30h às 14h)

Painel 3 - Gênero, raça e deslocamentos (14h às 16:15h)
Eufémia Vicente Rocha (Universidade de Cabo Verde)
Pilar Uriarte Bálsamo (Universidad de la Republica/Uruguay)
Iolanda Évora (Universidade de Lisboa)
Moderador: Carlos Gadea (Unisinos)

Painel 4 - Interseccionalidades nos Dois Lados do Atlântico (16:30h às 18h)
Patrícia Godinho Gomes (Prof. Visitante no PPG em Estudos Étnicos e Africanos da UFBA)
José Carlos Gomes dos Anjos (UFRGS)
Moderadora: Miriam Steffen Vieira (Unisinos)

Coffee - Auditório Padre Werner (18:15 - 19:15)

Roda de Conversa 3 - Feminismos e Direitos (19:30h às 22h)
Thula Rafaela de Oliveira Pires (PUC-Rio)
Flávia Biroli (UnB)
Moderadora: Monika Dowbor (Unisinos)

29/11/2018 (Quinta-feira)

Grupos de Trabalho (9h às 12:30h e das 14h às 17:30h)

Piquenique (18h - 19:15) - Lago

GRUPOS DE TRABALHO (GTs):

1. Dinâmicas de gênero e estudos feministas em contextos africanos e afro-brasileiros Miriam Steffen Vieira (Unisinos), Eufémia Vicente Rocha (Uni-CV), Patrícia Godinho Gomes (UFBA), Luiza Oliveira (Unisinos).
Victória Santos de Azevedo (Unisinos) - e-mail: vsazevedo@edu.unisinos.br

Este GT propõe uma reflexão sobre o desenvolvimento dos estudos feministas em países africanos de língua oficial portuguesa e feminismos decoloniais na América Latina, focalizando os seguintes aspectos: (1) processos de constituição e institucionalização deste campo de estudos; (2) contribuições epistemológicas às ciências sociais; (3) interfaces entre a pesquisa, movimentos sociais e políticas públicas; (4) relação e tensões entre as agendas de pesquisas transnacionais e endógenas; (5) direitos e políticas públicas de gênero; e (6) dinâmicas de gênero a partir de etnografias e estudos empíricos que contribuam para o debate sobre feminismos, com destaque para a violência de gênero, maternidades e paternidades, diversidade sexual, trabalho, desenvolvimento, migrações e perspectiva histórica.

2. Mulheres Negras Resistem: análises sobre protagonismos femininos e negros no contexto latino-americano

Laura Cecilia López (Unisinos), Vera Rodrigues (Unilab), Milena Cassal (Coletivo Atinuké- Pensamento de Mulheres Negras), Susane Souza (Unisinos, Acmun) - e-mail: susanesouza73@gmail.com

Muitos países da América Latina vivem a (re)emergência de uma crise provocada por rupturas democráticas, agenda político-moral conservadora e desmonte de políticas públicas. Tal cenário recrudesce desigualdades produzidas nas assimetrias entre raça/cor e gênero, o que potencializa as interfaces entre as lutas antirracistas e feministas, como o movimento "Black Lives Matter" que emerge nos Estados Unidos e tem seus ecos no Brasil, nos movimentos de mães de jovens negros mortos por violência policial. A partir dessa leitura, em diálogo com o campo dos Estudos Feministas Negros Latino-americanos, nosso GT se propõe a agregar reflexões que exponham limites, desafios, avanços e retrocessos no protagonismo de mulheres negras latino-americanas. Esse protagonismo é pensado em campos como a representação social e política, a produção de conhecimento em diferentes áreas científicas e a elaboração e execução de políticas públicas, dentre outras possibilidades de reconhecimento e representatividade.

3. Gênero, raça e trabalho

Marília Veronese (Unisinos), Julice Salvagni (UFRGS), Michele Savicki (Themis), Isabel Cristina de Vargas (Unisinos) - e-mail: belvargas2002@yahoo.com.br

Explora as diferentes dimensões das desigualdades em um recorte focado nos aspectos laborais. Busca refletir sobre a divisão sexual e étnico-racial como categorias estruturais, inerentes às relações de trabalho, discutindo as intersecções. Propõe um diálogo entre análises que abarquem relações de gênero e fenômenos sociais tais como: emprego/desemprego, precarização, dominação, exploração, flexibilização, terceirização, part time, formalidade X informalidade, emprego doméstico, análogo ao escravo, migrações, globalização e seus efeitos na esfera laboral. Analisa as possibilidades de emancipação pelo e

no trabalho, elencando aproximações com movimentos sociais e coletivos direcionados à "outra economia", como economia solidária e formas de cooperação e associação para fins produtivos, que destaquem a presença das relações de gênero e raça.

4. Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos

Tonantzin Ribeiro Gonçalves (Unisinos), Camilla Schneck (UFRGS), Renata Jardim (Themis), Carolina Montiel (Unisinos) e Adriano Henrique Caetano Costa (Unisinos) - e-mail: gt.dsreprodutivos2018@gmail.com

Os direitos sexuais e reprodutivos estão na agenda das políticas públicas desde a Conferência do Cairo em 1994. Desde lá, a inserção crescente de diversas tecnologias biomédicas tem repercutido intensamente nas experiências, dinâmicas e normas sociais em torno das sexualidades e da reprodução. Ao mesmo tempo, no âmbito das políticas públicas, pelo menos no Brasil, ainda parece prevalecer uma lógica regulatória sobre os corpos em detrimento da busca por estratégias emancipatórias no campo da sexualidade e da reprodução. Além disso, o acesso aos direitos reprodutivos e a proteção da diversidade sexual é perpassada por violências e iniquidades sociais, expondo biopolíticas que operam o "deixar morrer" em alguns grupos sociais. Assim, o Grupo de Trabalho se propõe a colocar em debate pesquisas e reflexões de distintas áreas disciplinares sobre as políticas públicas e a garantia dos direitos sexuais e reprodutivos.

5. Representação política, juventude e gênero

Aloisio Ruscheinsky (Unisinos), Rodrigo Stumpf González (UFRGS), Luis Alexandre Cerveira (FNH) e José Silon Ferreira (Unisinos) - e-mail: silonf@hotmail.com

Refletir acerca de impactos nos processos da democracia representativa existente e os efeitos das desigualdades juvenil e de gênero. Pretende-se reunir abordagens de caráter teórico, histórico e empírico sobre as compreensões correntes nas ciências sociais, as diferentes formas da produção do imaginário e do exercício do poder em sociedades assimétricas, as formas de obstrução da agenda democrática. As discussões relacionam-se às desigualdades de acesso de jovens e de mulheres à representação política e inserção nos partidos políticos, para cogitar uma inovação institucional ao incorporar outras agendas e dimensões culturais. Está aberto também a trabalhos sobre as novas formas de ativismo juvenil e de gênero, sobre os espaços de construção de projetos coletivos, sobre os embates políticos cotidianos e sobre as vias possíveis ou utópicas de ação social.

6. Políticas Públicas, movimentos sociais e democracia: lutas, avanços e retrocessos

Monika Dowbor (Unisinos), Frederico Viana Machado (UFRGS), Roberta Resende (Unisinos), Alex Sander Barcelos Retamoso (Unisinos) - e-mail: gtmovpop2018@gmail.com

O período da redemocratização no Brasil se mostrou fértil na diversidade de interações entre movimentos sociais e o Estado. De um lado, foram sendo instalados os arranjos de democracia participativa que permitiam a entrada de novos atores certo grau de partilha de poder e democratização do Estado. Por outro, movimentos foram encontrando outras formas de acesso às instituições do Estado em momentos de oportunidades políticas, ocupando cargos no governo, elegendo políticos, executando e implementando políticas públicas alinhadas com as suas propostas. Após o impeachment da Presidenta Dilma Rousseff, esse quadro de intensa interação mudou, com a diminuição da legitimidade ou, até mesmo, fechamento de arranjos de democracia participativas e de instituições voltadas às demandas sociais, o que se reflete no desmonte de diversas políticas públicas. Esses quadros de lutas, avanços e retrocessos e seus impactos para democracia constituem o foco central desse GT tanto do ponto de vista

dos movimentos, seus repertórios de ação, formas organizacionais e enquadramentos identitários quanto pelo prisma do Estado, suas instituições, burocracias e políticas públicas.

7. Direitos Humanos e Desigualdades Sociais

Solon Viola (Unisinos), Castor Bartolomé Ruiz (Unisinos), Thiago Vieira Pires (Unisinos), Ana Carolina Einsfeld Mattos (Unisinos), Ana Paula Krumel (Unisinos) e-mail: dhedesigualdadessociais.gt7@gmail.com

O GT - Direitos Humanos aproximações entre igualdade e diferenças - busca estabelecer aproximações e disparidades nas relações ao mesmo tempo complementares e contraditórias entre dois conceitos contemporâneos fundamentais para a elaboração e execução de políticas públicas.

8. Empoderamento Legal
Maria Guaneci de Ávila (PLP, Themis), Denise Dourado Dora (Themis), Amelinha Telles (União de Mulheres de São Paulo), Fabiane Siminoni (Furg/Themis), Thaís da Rosa Alves (Unisinos) - e-mail: empoderamentolegal.gt8@gmail.com

Em todo o mundo mulheres e meninas experimentam violência física, moral ou sexual, diariamente. No Brasil, 15 mulheres morrem a cada dia como consequência da violência baseada em gênero, um estupro é relatado a cada 11 minutos, e somente em poucos casos é que há investigação e punição justas. Se a violência baseada no gênero é um problema sistêmico; se governos e legisladores estão cientes disso; e se os sistemas de justiça não fornecem reparação, o que as mulheres devem fazer? Essa questão inspirou o movimento feminista global nos últimos 50 anos a lançar campanhas, repensar políticas públicas e criar redes de solidariedade e apoio mútuo entre as mulheres. Na América Latina, um número crescente de grupos de mulheres como THEMIS agora usa a metodologia de formação das promotoras legais populares, onde líderanças comunitárias fazem parte de uma experiência de aprendizado por mais de 6 meses sobre direitos fundamentais, leis antidiscriminação, violência de gênero, direitos sexuais e reprodutivos, direitos trabalhistas e, também, sobre aplicação da lei, tribunais judiciais e procedimentos legais. Depois de muitos anos, há evidências de que a conscientização jurídica fornece apoio para evitar o abuso de gênero, criando um novo ciclo de vida sem violência. Pretende-se discutir as experiências empreendidas neste campo, pelo movimento de mulheres e universidades. Estudos de casos, relatos de experiências e pesquisas sobre os impactos destas iniciativas são o foco deste GT.


Contato da organização do Simpósio: simposiointerseccionalidades@gmail.com

Coordenação

Coodenadora:
Miriam Steffen Vieira (Unisinos)

Comissão de organização:
Adriane Ferrarine (Unisinos)
Denise Doutorado Dora (Themis)
Eufémia Vicente Rocha (Uni-CV)
Laura Cecília López (Unisinos)
Marília Verissimo Veronese (Unisinos)
Miriam Steffen Vieira (Unisinos)
Monika Weronika Dowbor (Unisinos)
Renata Jardim (Themis)
Roberta Carnelos Resende (Unisinos)

Comitê Científico:
Adriane Ferrarine (Unisinos)
Alinne de Lima Bonetti (Unipampa)
Ângela Figueiredo (UFRB)
Carlos Alfredo Gadea Castro (Unisinos)
Claudia Lee Wilhiams Fonseca (UFRGS)
Eufémia Vicente Rocha (Universidade de Cabo Verde)
Iolanda Évora (Universidade de Lisboa)
Jacqueline Britto Pólvora (Unilab)
José Carlos Gomes dos Anjos (UFRGS)
José Luiz Bica de Mélo (Unisinos)
Laura Cecília López (Unisinos)
Luanda Soares Sito (Universidad de Antioquia, Medellín-Colombia)
Marília Veríssimo Veronese (Unisinos)
Miriam Steffen Vieira (Unisinos)
Monika Weronika Dowbor (Unisinos)
Patrícia Godinho Gomes (UFBA)

Submissão de trabalhos

ORIENTAÇÕES PARA SUBMISSÃO DE RESUMOS EXPANDIDOS PARA OS GRUPOS DE TRABALHO:

Os Grupos de Trabalho (GTs) tem por objetivo propiciar uma interlocução qualificada entre pesquisa, ativismo social e proposição de políticas públicas.
Os GTs são direcionados a:

(a) acadêmicas/os de graduação e de pós-graduação e a pesquisadoras/es cujos papers relacionem-se a estudos teóricos ou a investigações empíricas em estágio considerável de desenvolvimento ou concluídos;

(b) ativistas de movimentos associativos e gestoras/es ou agentes implicados em políticas públicas, visando compartilhar resultados de experiências de pesquisa, de intervenção social e/ou de participação em políticas. A seleção dos trabalhos caberá às coordenações dos GTs e ao Comitê Científico do Evento.

Os Resumos Expandidos devem conter os seguintes elementos, assim ordenados:

1. Identificação do GT escolhido;

2. Título (120 caracteres sem espaço, no máximo);

3. Nome completo das/os autoras/es;

4. Vinculação institucional das/os autoras/es (entre parênteses, após o nome);

5. Texto: fonte Times New Roman, corpo 12; espaçamento entre linhas simples; editor: Word; limite de 3.000 a 5.000 caracteres (sem espaço);

6. O conteúdo do Resumo deve apresentar os objetivos, metodologia e principais resultados ou contribuições teóricas, empíricas ou metodológicas do trabalho. O resumo deverá incluir até três referências bibliográficas principais e três palavras-chave.

Prazo para submissão do Resumo Expandido: 1 de agosto a 7 de Outubro de 2018

Os Resumos Expandidos devem ser encaminhados para o e-mail do GT escolhido, em cópia para a o e-mail da organização do Simpósio (simposiointerseccionalidades@gmail.com). No assunto do e-mail, deverá ser indicado o número e o nome do GT escolhido para submissão de trabalho.

Inscreva-se

Pela Internet

Presencialmente

Para realizar a inscrição, compareça ao Atendimento Unisinos, ou faça pelo nosso atendimento via skype.

No caso de Pessoa Jurídica, entregue junto a Ficha de inscrição (doc) preenchida e carimbada com as assinaturas do responsável pelo pagamento e preenchimento.

Investimento

Até o dia 30 de outubro: Docentes e pesquisadores: R$ 120,00 Estudantes de pós-graduação: R$ 60,00 Estudantes de graduação: R$ 30,00 Professores da educação básica e ensino médio/ativistas de movimentos sociais: R$ 30,00 Profissionais: R$ 150,00 De 30 de outubro até o dia 29 de novembro: Docentes e pesquisadores: R$ 160,00 Estudantes de pós-graduação: R$ 85,00 Estudantes de graduação: R$ 50,00 Professores da educação básica e ensino médio/ativistas de movimentos sociais: R$ 50,00 Profissionais: R$ 180,00