• De 27/08/2018 a 07/11/2018

  • Sala Ignacio Ellacuría e Companheiros – IHU | Campus Unisinos São Leopoldo (Av. Unisinos, 950 – Bairro Cristo Rei, São Leopoldo – RS)

R$10,00 (por palestra).

Este evento já ocorreu

Programação

27 de agosto de 2018 (segunda-feira)
19h30min às 22h – Determinantes da desigualdade social e da riqueza no Brasil
Prof. Dr. Pedro Herculano de Souza – IPEA – Brasília – DF
Acesse a apresentação em PDF
Sala Ignacio Ellacuría e Companheiros – IHU


11 de setembro de 2018 (terça-feira)
19h30min às 22h – Desigualdades no Vale do Rio dos Sinos. Desafios e alternativas
Prof. Dr. Carlos Paiva – FEE – RS e FACCAT – RS
Sala Ignacio Ellacuría e Companheiros – IHU


24 de setembro de 2018 (segunda-feira)

     14h30min às 16h – A Nova Razão do Mundo. Do neoliberalismo ao comum
     Conferencista:
     Prof. Dr. Christian Laval – Université Paris Nanterre – França
     Sala Ignacio Ellacuría e Companheiros – IHU


     17h30min às 18h30minComum: ensaio sobre a revolução no século XXI. Obra de Christian Laval e Pierre Dardot
     Apresentação da obra pelo Prof. Dr. Christian Laval – Université Paris Nanterre – França
     Sala Ignacio Ellacuría e Companheiros – IHU


     19h30min às 22h – Crise do neoliberalismo e a emergência de movimentos emancipatórios
     Conferencista:
     Prof. Dr. Christian Laval – Université Paris Nanterre – França
     Auditório Bruno Hammes – Escola de Direito – Unisinos | Bloco E12 101


07 de novembro de 2018 (quarta-feira)
19h30min às 22h – Trajetórias da desigualdade de renda no Brasil na última década (Webconferência)
Prof. Dr. Marcelo Medeiros – IPEA – Brasília – DF e UnB
Acesse a apresentação em PPT
Sala Ignacio Ellacuría e Companheiros – IHU

Programação sujeita a alterações.

Apresentação

II Ciclo de debates – Desigualdades no contexto econômico brasileiro

Quando se debate o tema das desigualdades surgem diferentes enfoques ou situações e, dependendo do enfoque, pode-se considerar uma dimensão mais expressiva do que outra. No entanto, o Ciclo busca ter como eixo central a desigualdade econômica, mais especificamente a de renda, e a partir dela fazer relações com os demais enfoques, tais como saúde, educação, habitação, infraestrutura e acesso a bens de consumo, dentre outros.

O ponto em comum é que o Brasil é um País extremamente desigual. Como demonstrou o relatório "A distância que nos une - um retrato das desigualdades brasileiras", da Oxfam Brasil, que evidenciou a extrema concentração de renda e riqueza no País, no qual seis pessoas possuem riqueza equivalente ao patrimônio dos 100 milhões de brasileiros mais pobres, além de que os 5% mais ricos detém a mesma fatia de renda que os demais 95%.

Outros estudos, especialmente quanto à desigualdade de renda, tanto demonstram que ela reduziu quanto que ela ficou, no mínimo, estável. Por exemplo, conforme o World Wealth and Income Database, a desigualdade de renda não caiu no Brasil no período de 2001 a 2015. Os resultados demonstraram que os 10% mais ricos obtiveram 60,7% dos ganhos de renda, enquanto os 10% mais pobres absorveram apenas 17,6%. Esses resultados estão na mesma linha da pesquisa "A desigualdade é mais alta e estável do que se imaginava", da Universidade de Brasília (UnB), que identificou uma estabilidade no nível de desigualdade entre 2006 e 2012.

No entanto, esses resultados são diferentes de indicadores como o índice de Gini, que demonstraram que houve uma melhora da situação durante os governos do Partido dos Trabalhadores (PT), devido a políticas e programas de redistribuição de renda. Também, outro estudo recente, intitulado "Faces da desigualdade no Brasil - Um olhar sobre os que ficam para trás", concluiu que as mudanças estruturais, ocorridas entre os anos de 2002 e 2015, permitiram melhorias de vida significativas na vida da parcela mais pobre da população, sendo que foi reduzida de 9,3% para 1% a população em situação de pobreza crônica multidimensional.

É justamente neste contexto que o Ciclo se insere, na discussão desses e outros resultados, buscando entender desde as causas até as consequências das desigualdades, tendo como horizonte possibilidades de sua superação num País tão desigual com o nosso.

Objetivos

Geral
– Analisar as expressões e as causas das desigualdades no contexto da economia brasileira, discutindo alternativas para superá-las.

Específicos
– Caracterizar as desigualdades no Brasil e seus determinantes.
– Analisar a trajetória da desigualdade econômica brasileira nas últimas décadas.
– Avaliar as consequências das desigualdades no cenário econômico brasileiro.
– Discutir alternativas para superar as desigualdades no Brasil.

Público-alvo

Professores(as), pesquisadores(as), alunos(as), funcionários(as) e demais interessados.

Certificado

Os certificados do evento estarão disponíveis a partir de 30 dias após o término do evento no portal Minha Unisinos, acessando o menu Certificados.

É imprescindível a assinatura na ata do evento para registrar a presença.

Carga horária

13 horas

Dias de aula

Conforme o programa.

 

Ministrante

Prof. Dr. Pedro Herculano de Souza – IPEA – Brasília – DF
Prof. Dr. Carlos Paiva – FEE – RS e FACCAT – RS
Prof. Dr. Christian Laval – Université Paris Nanterre – França
Prof. Dr. Marcelo Medeiros – IPEA – Brasília – DF e UnB

Coordenação

Prof. Dr. Inácio Neutzling – Unisinos
Profa. Dra. Susana Maria Rocca – Unisinos
Prof. Dr. Lucas Henrique da Luz – Unisinos

Apoio

Programa de Pós-graduação em Administração – Unisinos

Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais – Unisinos

Promoção

Como chegar


Unisinos - Campus São Leopoldo

Av. Unisinos, 950 - Cristo Rei, São Leopoldo - RS, 93022-000, Brasil