• Perfil RP – Gabriela Gonçalves

    Com a finalidade de apresentar melhor os professores de Relações Públicas que atuam no curso nas modalidades presencial e a distância, o Blog do Curso de Relações Públicas fará uma série de entrevistas para publicar aqui!   Entrevista prof.ª Gabriela Gonçalves. Pergunta: Por que você escolheu RP de profissão? Gabi: Eu, inicialmente, tinha optado por alguma coisa na área da comunicação porque sempre me ...

  • Estudantes matriculados no TCC e formandos recebem auxílio da Universidade

    O Grupo de Apoio aos Formandos em situação de stress é um projeto que tem como objetivo propiciar aos alunos, nos semestres finais da graduação, um espaço de acolhimento e encaminhamento de suas dificuldades acadêmicas. Serão realizados cinco encontros nas quartas-feiras, a partir do dia 02 de abril. Interessados em participar, devem confirmar presença no evento até o dia 1º de abril pelo e-mail ...

  • Saiba como evitar danos à reputação de sua empresa quando algo vai mal

    A professora Nadege Lomando do curso de Relações Públicas da Unisinos, presencial e EAD, dá dicas sobre procedimentos que ajudam a resolver as crises. De acordo com a professora, toda crise pode comprometer a imagem de uma organização. Independente do que aconteça, alguns procedimentos devem ser considerados para evitar que a situação saia do controle. “A obrigação da empresa é ser ...

  • Have you had the chance to take one of the undergraduate courses in English offered by Unisinos ?

    Unisinos is offering courses in English to undergraduate students. In 2014/1 join the discussion on important current issues and also enjoy the opportunity to brush up your English. See the 13 options below: For more information visit unisinos.br/ementas - Disciplinas em Inglês A high intermediate level of English is mandatory to register in any of the above mentioned courses. To enroll in these ...

Postado em 24 - julho - 2014 0 Comentário

Vamos combinar: não adianta dominar o assunto se você não conseguir transmiti-lo ao público, certo? O meio corporativo necessita de profissionais bem qualificados no que diz respeito à comunicação. Por esse motivo, o curso de extensão “Dicção e Oratória no Meio Corporativo” da Unisinos aborda a habilidade comunicativa, que é muito importante no atual mercado de trabalho que, a cada dia, se torna mais competitivo.

A facilidade de comunicação auxilia no trabalho em equipe, nas vendas, na delegação de atividades e na gestão de pessoas e processos. Profissionais que buscam o aprimoramento da expressão verbal e não verbal, e aplicam o conhecimento no dia-a-dia, encontram maior facilidade para manter uma fala fluente, organizada, convincente, clara e objetiva. A comunicação eficiente não diz respeito somente à fala, mas também ao saber ouvir e escutar.

Confira alguns dos temas a serem trabalhados no curso:

  • Recursos vocais para deixar o discurso interessante e atrativo;
  • Comunicação verbal e não verbal;
  • Postura corporal, gestos e olhar;
  • Vícios de linguagem;
  • Dominando o nervosismo e o “branco”;
  • Uso correto do microfone;
  • Comunicação oral: em equipe, ao telefone, nas vendas, em reuniões e em entrevistas;
  • Como elaborar uma aula, treinamento ou palestra-didática.

»  Matricule-se! As aulas começam dia 5 de agosto.

Conheça também os cursos:

» Jornalismo Investigativo – Muito além do Google: técnicas avançadas de pesquisa em fontes abertas

» Moda, Corpo e Transformações – Uma História da Silhueta

» Harmonização de Queijos & Vinhos

» Intervenções Analógicas em Fotografia

» Gerência de Produto para o Varejo de Moda

Veja todas as ofertas em: unisinos.br/cursos-de-extensao

 

Postado em 18 - julho - 2014 0 Comentário

Trainee Globo 2014

Postado em 25 - junho - 2014 0 Comentário

MesarioVoluntario_2014

As eleições de 2014 ocorrem no dia 5 de outubro e como a data está cada vez mais próxima, a Justiça Eleitoral precisa convocar cidadãos para exercerem a função de mesário. Para alguns locais ainda há a necessidade de voluntários e essa é uma excelente oportunidade para os universitários. Os estudantes interessados em ajudar ganharão horas complementares, independente do seu local de votação, além das folgas no trabalho.

Seja um mesário, inscreva-se no site do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul em Eleições/Portal do Mesário/Mesário Voluntário ou acesse por meio do link http://www.tre-rs.jus.br/index.php?nodo=10951.

A declaração para horas complementares para os eleitores de Novo Hamburgo deverá ser solicitada após a eleição pelos e-mails zon076@tre-rs.jus.br ou zon172@tre-rs.jus.br, conforme o número de sua zona eleitoral, que consta em seu título.

Em caso de dúvida entre em contato pelos telefones 51 35949095 ou 51 35933612.

Informamos que eleitores de todo o Estado podem se voluntariar pelo Portal do Mesário para trabalharem em sua respectiva zona eleitoral.

Os dados para contato com os Cartórios Eleitorais do Rio Grande do Sul estão disponíveis em http://www.tre-rs.jus.br/apps/zonas/

Postado em 10 - junho - 2014 0 Comentário

Com a finalidade de apresentar melhor os professores de Relações Públicas que atuam no curso nas modalidades presencial e a distância, o Blog do Curso de Relações Públicas fará uma série de entrevistas para publicar aqui!

 

Entrevista prof.ª mestre Magda Ruschel

Magda Ruschel

Formada em Publicidade e Propaganda pela Unisinos,  em Psicologia pela Unisinos. Especialista em Comunicação e Saúde na UFRGS e mestre em Processos Midiáticos pela Unisinos. Atualmente está cursando o doutorado em Processos Midiáticos e o Audiovisual pela Unisinos.

Magda Ruschel é também professora do curso de Relações Públicas na modalidade presencial e a distância. Além de ter elaborado comunidade e livro didático do curso de RP 100% EAD.

 

Pergunta 1: Por que você escolheu PP e Psicologia como profissão?

Magda: Escolhi Publicidade e Propaganda por curiosidade, pois na época eu não tinha muitas informações sobre a profissão. Foi uma escolha intuitiva e acertada. A escolha por cursar Psicologia surgiu posteriormente, pois eu sentia a necessidade de entender o indivíduo. Acho que isso é importante para a área da Comunicação Social.

Pergunta 2: Quando você se formou?

Magda: Em Publicidade e Propaganda, me formei em 1984, pela Unisinos. Já em Psicologia, me formei em 2003, também aqui na universidade.

Pergunta 3: Desde quando você está atuando no mercado de trabalho?

Magda: Na área de Publicidade e Propaganda, atuo desde o período do pós-formatura, em 1984. Em Psicologia, desde 2003, com psicologia clínica e orientação vocacional.

Pergunta 4: Qual é a área do seu mestrado, especialização e doutorado?

Magda: A minha especialização, feita na UFRGS, foi sobre Comunicação e Saúde. O mestrado, que fiz na Unisinos, foi com ênfase aos Processos Midiáticos. Já o doutorado, que estou cursando agora, na Unisinos, é sobre Processos Midiáticos e o Audiovisual.

Pergunta 5: Por que você escolheu se dedicar ao ensino?

Magda: Por vários motivos, que envolvem a vida acadêmica como um todo e porque há o desafio de aprender a ensinar.

 

 

Pergunta 6: Desde quando você leciona na Unisinos?

Magda: Desde o ano 2000. Após minha formatura, em 2003, passei a lecionar na disciplina de Comunicação e Psicologia. Atualmente, leciono uma disciplina de Relações Públicas (Negociação), uma de Publicidade e Propaganda (Produção em Áudio), uma dos cursos de Comunicação (Comunicação e Psicologia) e uma no Mercado Fonográfico (Produção de Coletânea).

Pergunta 7: Conte uma experiência da sua vida acadêmica, como professora ou como aluna.

Magda: Como professora, a cada semestre acontecem surpresas: os alunos surpreendem na produção de trabalhos, inventividade que cada um traz e com o próprio desenvolvimento de propostas, que começam com uma ideia, um projeto. Cada turma é diferente da outra.

Pergunta 8: O que você diria para os alunos de PP e Psicologia que estão começando?

Magda: Para que eles se interessem pela pesquisa, pois ela desenvolve muito o potencial que a academia traz. Eu diria que a pesquisa é muito benéfica, para ser um investigador, estar interessado no estado atual das coisas e ter o olhar apurado.

Pergunta 9: Qual é o maior desafio da sua profissão?

Magda: Estar em sintonia com as práticas sociais, acadêmicas e, de certa forma, exercer um tipo de tradução do que acontece aqui para o mercado e vice-versa, das expectativas dos alunos e professores.

Pergunta 10: Qual é a parte do seu trabalho que você mais gosta?

Magda: Ter contato com as pessoas. Quem escolhe seguir nas áreas da Comunicação e da Psicologia gosta de trabalhar com gente.

Pergunta 11: Além de lecionar, quais foram as suas outras experiências profissionais?

Magda: Na área de PP, trabalhei em agências e produtoras de áudio e atualmente dirijo atores para papeis de personagens de videogames. Além disso, atualmente, atuo na psicologia clínica.

Postado em 26 - maio - 2014 0 Comentário

Com a finalidade de apresentar melhor os professores de Relações Públicas que atuam no curso nas modalidades presencial e a distância, o Blog do Curso de Relações Públicas fará uma série de entrevistas para publicar aqui!

 

Entrevista prof.ª Gabriela Gonçalves.

Professora Mestre Gabriela Gonçalves

Pergunta: Por que você escolheu RP de profissão?

Gabi: Eu, inicialmente, tinha optado por alguma coisa na área da comunicação porque sempre me achei uma pessoa super criativa e, então, minha primeira opção foi Publicidade e Propaganda. Cheguei a cursar um tempo aqui na Unisinos, mas não pude continuar. Quando voltei, por medo de não passar no vestibular de PP, que era super concorrido, optei por RP. Conto essa história para todos os meus alunos, pois eu não sabia o que era RP. Depois de dois anos, compreendi que Relações Públicas era uma forma de administração sem números e, assim, eu vislumbrava uma área de atuação muito maior do que a de publicidade.

Pergunta: Então, o que chama mais sua atenção em Relações Públicas é isso, uma forma de administração sem números?

Gabi: Agora não mais, na época eu vislumbrei assim, mas o que mais me chama a atenção é o fato de você ser um verdadeiro estrategista de relacionamento, e isso requer um tipo de inteligência que não é todo mundo que tem. Porque não é fácil uma pessoa saber ouvir e conseguir compreender as necessidades de relacionamento que precisa, seja numa comunicação mais interpessoal ou numa comunicação internacional. Então, aí você tem que usar a criatividade, – que é o que eu achava que eu tinha – e isso ajuda muito em programas de comunicação e, também, em questões de estratégia. Ou seja, ser uma estrategista e trabalhar com inteligência de relacionamento.

Pergunta: Quando você se formou?

Gabi: Em 1997/2.  Em janeiro deste ano completou 15 anos.

Pergunta: Desde quando você está atuando no mercado de Relações Públicas?

Gabi: Fiz faculdade sempre trabalhando, mas comecei a trabalhar com comunicação em 1996. Sempre atuando em empresas na área de comunicação ou com consultoria ou fazendo estágio. Aliás, fiz muitos estágios. Quando eu achava: ‘Ah! Já aprendi tudo!’, então, eu trocava de emprego. Por isso, tive um pouco de experiência em várias áreas.

 

Pergunta: Qual a área do seu mestrado?

Gabi: A dissertação eu fiz sobre publicidade e propaganda institucional, que tem tudo a ver com RP. Então, ali que eu uni as duas.

Pergunta: Porque você escolheu se dedicar ao ensino?

Gabi: Também foi acidental. Eu terminei meu curso e parecia que faltava alguma coisa, então, resolvi que tinha que voltar a estudar. Acabei tentando o mestrado e fui aprovada. Achei que eu não passaria, porque fiz meu projeto de forma muito rápida. Depois disso, comecei a cursar e vi um anúncio da Unisinos selecionando professores. Mandei meu currículo e também fui chamada. Aí, pensei: “Meu Deus, amanhã eu começo a dar aula e nem terminei meu mestrado”. Não estava preparada, mas me apaixonei e decidi que não iria largar mais. Desde então, nunca fiquei numa atividade durante tanto tempo quanto lecionei.

Pergunta: Desde quando você  leciona na Unisinos?

Gabi: Desde 2001.

Pergunta: Conte uma experiência da sua vida acadêmica, como professora ou como aluna.

Gabi: Eu teria várias histórias para falar da relação professor-aluno. Mas, para mim, foi muito engraçado, e ao mesmo tempo, muito bacana a vez que eu fui a professora que mais indicou estagiários para a Agexcom. E aí, claro, tem o mico que a gente tem que pagar junto, então, eu fui a picolezeira da campanha dessa época. É engraçado que a gente nunca se imagina sentindo um pouquinho de vergonha, mas confesso que senti sim. Acho que foi uma coisa bem marcante e, claro, que sempre que a gente é convidado para ser professor homenageado ou paraninfo é uma recompensa muito bacana.

Pergunta: O que você diria para os alunos de RP que estão começando?

Gabi: A carreira é muito promissora, estamos no período dos relacionamentos que são uma questão de estratégia. Tem que gostar e confiar que a carreira é promissora. Mas tem que correr atrás, pois nada cai do céu. As coisas acontecem, mas temos de fazer um movimento. A Unisinos te dá o diploma numa área, mas ela não vai construir a tua carreira.